Presidenciais

Quem e como pode votar antes de 24 de janeiro?

Canva

Nas últimas legislativas, em 2019, mais de 50 mil eleitores votaram antecipadamente, uma semana antes das eleições.

Os portugueses que não puderem votar nas presidenciais em 24 de janeiro podem pedir para exercer o direito de voto uma semana antes, numa mesa de voto à sua escolha. O voto antecipado em mobilidade foi alargado por lei aprovada no Parlamento e pode ser feito na sede de cada um dos 308 concelhos do país, em vez da sede do distrito, como aconteceu nas eleições legislativas de 2019.

Além do voto antecipado em mobilidade, há mais possibilidades de exercer o direito cívico antes do dia 24 de janeiro. É o caso dos eleitores em confinamento obrigatório devido à pandemia de covid-19.

Os boletins de voto dos eleitores confinados devido ao novo coronavírus serão recolhidos por equipas municipais devidamente equipadas contra o contágio (equipamentos que serão mudados após a visita a cada domicílio) e serão depois sujeitos a uma quarentena de 48 horas.

Um prazo já foi ultrapassado, para os presos que não estejam privados de direitos políticos e os doentes internados. Esse prazo terminou a 4 de janeiro, estando prevista a recolha de votos entre 11 e 14 de janeiro.

Nas últimas legislativas, em 2019, mais de 50 mil eleitores votaram antecipadamente, uma semana antes das eleições.

As eleições presidenciais estão marcadas para 24 de janeiro e esta é a 10.ª vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República em democracia, desde 1976.

A campanha eleitoral decorre entre 10 e 22 de janeiro. Concorrem às eleições sete candidatos, Marisa Matias (apoiada pelo Bloco de Esquerda), Marcelo Rebelo de Sousa (PSD e CDS/PP) Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), André Ventura (Chega), Vitorino Silva, mais conhecido por Tino de Rans, João Ferreira (PCP e PEV) e a militante do PS Ana Gomes (PAN e Livre).

Veja também: