Extremos

Extremos

Pedro Coelho

Pedro Coelho

Jornalista Grande Reportagem SIC

Extremos é um projeto patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian que terá uma expressão multimédia e que incluirá um conjunto de grandes reportagens que a SIC emitirá em fevereiro de 2021. O projeto resulta de uma parceria estabelecida entre a SIC e a NOVA FCSH e pretende mergulhar no difícil tópico do “populismo radical que alimenta a direita nacionalista e antissistema europeia” - título que esconderá derivas em direção aos extremos; em direção ao quadro que molda a extrema direita.

As “certezas absolutas” não são absolutas; na maior parte das vezes nem sequer serão certezas. A ideia de que “os tempos não se repetem” também se dilui no tempo que, entre tensões e mudança, tantas vezes parece formar-se a partir do eco de maus passados.

A Segunda Guerra Mundial mostrou-nos o pior e o melhor do homem. Ao mesmo tempo que irracionais figuras políticas se ergueram, moldando massas humanas em direção ao precipício de valores e princípios, também homens e mulheres de mérito resistiram, salvando nações e frágeis perseguidos da destruição absoluta.

Regressámos ao tempo em que as massas se deixam moldar pelos novos “messias"

A inquietação que nos conduz é tão só esta: como se alimentam? Como influenciam? Quem os comanda? O que pretendem? Até onde irão esses “messias”?

Selecionámos quatro geografias para este especial. França, onde a extrema direita da família política Le Pen fundou a Frente Nacional (hoje Rassemblement National), em 1972; Itália, onde Umberto Bossi fundou a Lega Norte (hoje um partido de poder e nacional, dirigido por Matteo Salvini), em 1991; Espanha, onde Santiago Abascal fundou o VOX em 2013; e Portugal, onde o Chega de André Ventura chegou ao parlamento nacional em 2019, exatamente no ano em que a coligação foi fundada.

Esta escolha fez-nos eleger as quatro figuras políticas que, neste nosso tempo, lideram os respetivos partidos políticos que se impõem nas quatro geografias: Marine Le Pen, em França, Matteo Salvini, em Itália, Santiago Abascal, em Espanha e André Ventura, em Portugal.

Se, como nos assinala Marina Costa Lobo neste vídeo, as comparações entre os quatro favorecem André Ventura, dono de escassos 60 mil votos e de apenas um deputado na Assembleia da República, elas também nos permitem encontrar semelhanças discursivas, idênticas estratégias de atração das massas, partilha de valores, de causas e de princípios, de slogans, raivas, ódios, paixões.

O Projeto

A partir destas quatro figuras percorreremos neste especial - e nas grandes reportagens que emitiremos na SIC em fevereiro de 2021 – o território onde se moldam os nacionalismos radicais que enformam esta direita antissistema, que recusa o rótulo de Extrema Direita.

A ideia tomou forma em 2019 na sequência de um conjunto de grandes reportagens que uma parte desta equipa produziu e que a SIC emitiu nesse ano, em abril. Nessa altura, a partir do exemplo de cinco jovens afegãos, mostrámos o desespero dos milhares de refugiados que, tentando fugir da loucura da guerra da Síria, do Afeganistão, do Iémen, da Somália, batiam à porta da Europa que, para eles, simplesmente se fechava em forma de fortaleza. A fuga desenfreada desses milhões tornou-se adubo que fez crescer populismos e nacionalismos, que a direita antissistema absorveu e expeliu em forma de pensamento político.

Apesar das diferenças que os separam, Marine Le Pen, Salvini, Abascal, Ventura têm – entre tantos outros – esse ponto chave a uni-los: o outro, o estrangeiro, o muçulmano, não é bem-vindo; a não ser que esse outro se dissolva, qual servo, num suposto nós.

Esta ideia, que a SIC acolheu desde o primeiro momento, ganhou forma de facto com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, que, tendo distinguindo o projeto com uma bolsa de jornalismo de investigação, lhe deu literalmente asas para que pudéssemos fazer reportagem nas quatro geografias mas, sobretudo, para que pudéssemos constituir uma equipa que mergulhasse nos detalhes que constroem a reportagem de investigação.

A equipa

A equipa foi formada a partir de uma parceria que a SIC estabeleceu com a NOVAFCSH. Quatro estudantes de Ciências da Comunicação (variante de jornalismo), que entretanto se licenciaram, uma antiga aluna do mesmo curso, uma professora e um jornalista da Grande Reportagem da SIC que também é professor na mesma instituição juntaram-se a um repórter de imagem da SIC e à coordenadora da SIC Notícias Online e deram forma à parceria.

O trabalho de pesquisa começou em novembro de 2019 e continuou durante os meses da pandemia. Ao longo desse período, os alunos, o jornalista - professor e o repórter de imagem foram fazendo curtas e incisivas incursões no terreno. Em setembro de 2020 o sucesso do trabalho de pesquisa passou a poder contar com a constância da reportagem.

Este texto inaugura o estado atual do projeto: a sua expressão online.

Este especial será alimentado de informação até final de fevereiro de 2021, mês em que será emitida a última grande reportagem televisiva associada ao projeto.

ACOMPANHE O ESPECIAL EXTREMOS