Football Leaks

Rui Pinto em Portugal: o que se segue?

Denunciante do Football Leaks vai ser presente esta sexta-feira a um juiz de instrução criminal.

O português Rui Pinto, colaborador do Football Leaks, chegou esta quinta-feira a Lisboa, na sequência do processo de extradição decidido pela justiça húngara.

O avião em que viajou Rui Pinto aterrou no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, pouco antes das 19:00 horas. A acompanhá-lo seguiram três elementos da Polícia Judiciária que, por razões de segurança, foram os últimos a entrar e a sair do avião.

Depois de ser decretada a extradição para Portugal pelo Tribunal Metropolitano de Budapeste, a 5 de março, confirmada em segunda instância, após recurso, Rui Pinto irá responder às autoridades portuguesas que tinham desafiado a apanhá-lo.

Rui Pinto vai pernoitar no estabelecimento prisional anexo ao edifício da Polícia Judiciária e deverá ser esta sexta-feira presente a primeiro interrogatório judicial perante um juiz do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

Indiciado de seis crimes - dois de acesso ilegítimo, dois de violação de segredo, um de ofensa a pessoa coletiva e outro de extorsão na forma tentada - poderá conhecer as medidas de coação já amanhã, sendo expectável que o Ministério Público peça a aplicação da medida mais gravosa, prisão preventiva.

Rui Pinto terá acedido, em setembro de 2015, ao sistema informático da Doyen, com sede em Malta, que celebra contratos com clubes de futebol e Sociedades Anónimas Desportivas (SAD).

É também suspeito de aceder ao email de elementos do conselho de administração e do departamento jurídico do Sporting e, consequentemente, ao sistema informático da SAD leonina.

O colaborador do Football Leaks foi extraditado para Portugal numa altura em que colaborava com vários países europeus, no combate à corrupção no seio da União Europeia. França, por exemplo, garantiu a Rui Pinto um programa de proteção de testemunhas.

Esta é uma das questões que tem dividido as opiniões. Deve ser protegido ou responsabilizado pela justiça?

Na Hungria, Rui Pinto chegou a acusar a justiça portuguesa de não atuar perante a corrupção no futebol. Nesse mesmo dia, proferiu declarações como por exemplo:

"Acha que Portugal é um país com uma justiça justa?"

"Não me arrependo de nada, fiz o que tinha a fazer"

"Não me envie para Portugal. Isto é uma questão de vida ou de morte."

O primeiro a dar a cara pelo Football Leaks

Conhecido como "John" na internet, entregou milhões de documentos que implicavam clubes de futebol, jogadores e dirigentes a jornalistas.

Casos de fraude de Cristiano Ronaldo e José Mourinho, que renderam milhões de euros ao fisco espanhol, foram revelados pelo Football Leaks.

Com o propósito de expor "a parte oculta do futebol", os fundos de investimento, as comissões dos negócios, "tudo o que serve para enriquecer os que os piratas informáticos classificam de parasitas que se aproveitam do futebol, sugando totalmente clubes e jogadores", o site do Football Leaks tem revelado informações dos bastidores do mundo do futebol através do seu site, ativo desde 2015.

Rui Pinto foi o primeiro denunciante conhecido do Football Leaks.

Rui Pinto foi detido em janeiro na Hungria na sequência do cumprimento de um mandado de detenção europeu. O tribunal húngaro decidiu a 5 de março que o português iria ser extraditado para Portugal.