Guerra Rússia-Ucrânia

Dois navios com cereais saíram da Ucrânia com destino à Coreia do Sul e Turquia

Dois navios com cereais saíram da Ucrânia com destino à Coreia do Sul e Turquia
STRINGER
Eleva-se a 12 o número de navios que deixaram a Ucrânia com cereais desde a assinatura do acordo

Dois navios com mais de 70.000 toneladas de cereais zarparam esta terça-feira do porto ucraniano de Chornomorsk, no âmbito do acordo entre a Rússia, a Ucrânia, a Turquia e a ONU, anunciou o Ministério da Defesa turco.

Com estas duas partidas, eleva-se a 12 o número de navios que deixaram a Ucrânia com cereais desde a assinatura do acordo, em 22 de julho, em Istambul.

No total, já saíram da Ucrânia mais de 375.000 toneladas de cereais, segundo dados da agência noticiosa turca Anadolu.

Um dos navios que partiram esta terça-feira, o "Ocean Lion", com bandeira da Libéria, transporta "64.720 toneladas de milho para a Coreia do Sul", anunciou o ministério turco na rede social Twitter, citado pela agência espanhola EFE.

O "Rahmi Yagci", com bandeira da Turquia, transporta um carregamento de 5.300 toneladas de farinha de sementes de girassol para Istambul.

Na altura em que divulgou a informação, o Ministério da Defesa da Turquia precisou que os dois navios se encontravam a uma dezena de quilómetros a sudeste de Odessa, o ponto de partida para navegar ao longo do corredor marítimo previsto no acordo.

O porto de Chornomorsk, no Mar Negro, localiza-se na região de Odessa.

Navios são inspecionados na Turquia

Os dois navios deverão chegar ao Bósforo na quarta-feira à tarde, para serem inspecionados por uma equipa composta por representantes russos, ucranianos, turcos e das Nações Unidas.

Ao abrigo do acordo, os navios que deixam a Ucrânia são controlados para verificar se transportam apenas cereais, fertilizantes ou alimentos, e não quaisquer outras mercadorias.

Os navios que se dirigem para a Ucrânia são controlados para assegurar que não transportam armas.

A equipa de coordenação conjunta em Istambul inspecionará esta terça-feira três navios que chegaram da Ucrânia na segunda-feira, anunciou a ONU num comunicado citado pela EFE.

O acordo alcançado perante a ameaça de uma crise alimentar global

O acordo foi alcançado face à ameaça de uma crise alimentar global provocada pelo bloqueio de cereais ucranianos nos portos controlados pelas forças russas, na sequência da guerra na Ucrânia, iniciada pela Rússia em 24 de fevereiro.

A guerra afetou também o fornecimento global de fertilizantes agrícolas, de que a Rússia é um dos principais produtores.

Em conjunto, segundo a revista britânica The Economist, a Ucrânia e a Rússia fornecem 28% do trigo consumido no mundo, 29% da cevada, 15% do milho e 75% do óleo de girassol.

Últimas Notícias
Mais Vistos