Guerra Rússia-Ucrânia

Rússia garante que sanções internacionais afetam "os próprios promotores"

Rússia garante que sanções internacionais afetam "os próprios promotores"
Mikhail Svetlov
O primeiro-ministro russo diz que as sanções a Moscovo têm um efeito negativo na economia dos próprios países que as promovem.

A Rússia considerou esta sexta-feira que o aumento da pressão provocada pelas sanções internacionais têm um efeito negativo na economia dos próprios países que promovem as restrições contra Moscovo.

"A situação muda rapidamente, o 'Ocidente em conjunto' aumenta a pressão com sanções contra a Rússia e a Bielorrússia, apesar das consequências negativas dessas políticas afetarem os próprios promotores", disse o primeiro-ministro russo Mikhail Mishustin citado pela agência oficial da Rússia RIA Novosti.

Num discurso perante o Conselho Intergovernamental da União Económica Euro-Asiática, Mishustin destacou o papel do organismo no momento em que são afetadas as bases do sistema económico e comercial a nível mundial.

"Os 'Estados ocidentais' tentam acusar o nosso país de ter provocado a crise alimentar global estando conscientes de que a atual situação é consequência direta das ações que tomaram", afirmou na reunião que decorre no Quirguistão.

A União Económica Euro-Asiática é constituída pela Arménia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia.

O primeiro-ministro russo disse ainda que as "sanções contra a Rússia" agravaram as tendências negativas globais e que os bancos e as instituições financeiras deixaram de conceder créditos assim como não asseguram contratos de venda de alimentos e fertilizantes russos. Por outro lado, declarou que os países da União Económica Euro-Asiática, "em matéria de alimentos" está em situação vantajosa.

"Alcançamos um elevado nível de 'auto-abastecimento' em relação aos produtos agrícolas", disse o chefe do governo da Rússia declarando que o organismo económico liderado pela Rússia é um dos maiores exportadores de alimentos do mundo.

As sanções internacionais contra a Rússia foram desencadeadas após a nova invasão russa da Ucrânia, no passado mês de fevereiro.

Últimas Notícias
Mais Vistos