Guerra Rússia-Ucrânia

Ucrânia alerta para risco de pulverização de substâncias radioativas na central de Zaporíjia

Ucrânia alerta para risco de pulverização de substâncias radioativas na central de Zaporíjia
Future Publishing
Segundo a Energoatom, as tropas russas "bombardearam vários reservatórios no último dia".

O operador público ucraniano Energoatom advertiu este sábado que existe um risco de "pulverização de substâncias radioativas" na central nuclear ucraniana de Zaporíjia, ocupada pelas tropas russas.

Segundo a Energoatom, as tropas russas "bombardearam vários reservatórios no último dia".

"A infraestrutura da central foi danificada e existem riscos de fuga de hidrogénio e de pulverização de substâncias radioativas", anunciou a agência no Telegram, acrescentando haver "um risco elevado de incêndio".

A ofensiva militar lançada em 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de quase 13 milhões de pessoas - mais de seis milhões de deslocados internos e quase sete milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa - justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções em todos os setores, da banca à energia e ao desporto.

Na guerra, a ONU apresentou como confirmados 5.587 civis mortos e 7.890 feridos, sublinhando que os números reais são muito superiores e só serão conhecidos no final do conflito.

Últimas Notícias
Mais Vistos