Guerra Rússia-Ucrânia

Ataque informático ao Parlamento Europeu reivindicado por grupo pró-Kremlin

Ataque informático ao Parlamento Europeu reivindicado por grupo pró-Kremlin
PATRICK HERTZOG

A informação foi avançada pelo porta-voz e confirmada pela presidente do Parlamento Europeu.

O site do Parlamento Europeu foi alvo de ciberataque nesta quarta-feira. Isto aconteceu depois da Rússia ter sido classificada como um Estado patrocinador de terrorismo.

O ataque informático foi, entretanto, reivindicado por um grupo “pró-Kremlin”, avançou a presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola.

A presidente da instituição acusou através do Twitter um grupo ligado à Presidência russa de ter cometido "um ciberataque sofisticado" e respondeu escrevendo "Glória à Ucrânia".

No Twitter, o porta-voz Jaume Duch, descreveu o ataque como um "ataque DDOS" (negação de serviço), que paralisou a "disponibilidade do website" da instituição.

"As equipas do Parlamento estão a trabalhar para resolver o problema o mais rapidamente possível", garantiu o porta-voz.

Ao final da tarde, o site estava a funcionar normalmente, depois de ter ficado inacessível por cerca de três horas, período no qual os técnicos da instituição estiveram a trabalhar para resolver o incidente, segundo fontes europeias.

O Parlamento Europeu aprovou esta quarta-feira uma resolução que classifica a Rússia como um estado patrocinador de terrorismo.

A maioria dos deputados defende ainda que o Kremlin deve ser julgado por crimes de guerra.

A resolução foi aprovada com 494 votos a favor, 58 contra e 44 abstenções.

Artigo atualizado às 19:49, tendo sido retificado o tempo em que o site do Parlamento Europeu ficou inacessível.

Últimas Notícias
Mais Vistos