Harry & Meghan

Príncipe Harry fala pela primeira vez com o pai e o irmão depois da polémica entrevista

POOL New

A imprensa britânica já tinha avançado que Carlos, apesar de "profundamente magoado", tinha intenção de retomar o contacto com o filho.

Com a família real ainda a recuperar do impacto da entrevista dada pelos duques de Sussex, Harry, Carlos e William falaram pela primeira vez.

O jornal britânico Daily Mail já tinha revelado a intenção do príncipe Carlos retomar o contacto com o filho e até de reatar a relação. Um amigo do filho de Isabel II, ao Daily Mail, disse que "depois de muita reflexão" percebeu que "nada de bom virá se continuar a prolongar esta luta" e que agora era hora de resolver os desentendimentos com Harry.

A informação de que os três já conversaram foi avançada por Gayle King, apresentadora do CBS This Morning e amiga próxima de Meghan. A apresentadora explicou que a conversa "não foi produtiva", mas que os três estão felizes por terem dado este passo.

"A definição que me deram foi que a conversa não foi produtiva, mas que eles estão felizes por pelo menos terem começado a conversar", disse a apresentadora, citada pelo Mirror.

Carlos foi dos alvos mais atingidos na entrevista, diz o Daily Mail. Harry contou que se sente dececionado com o pai e revelou ainda o abismo entre ele e o irmão, William.

No rescaldo da entrevista, artigos publicados pela imprensa britânica dizem que foi pior do que aquilo que a família real podia esperar e que não seria suficiente esconderem-se atrás do sofá para fugir das revelações de Harry e Meghan.

Segundo o Daily Mail, há muita gente que acredita que a forma como Carlos lidou com o processo de divórcio com Diana pode ser a raiz do problema e que Harry poderá nunca perdoar o pai. Na entrevista disse mesmo que Diana "ficaria muito zangada com a forma como tudo aconteceu, e também muito triste".

Outra das acusações levantadas contra a família real foi o racismo. Harry e Meghan explicaram que houve "preocupações e conversas sobre o quão escura a pele [do filho] podia ser quando nascesse". Não esclareceram quem, mas confirmaram não ter sido nem a rainha nem o duque de Edimburgo a fazê-lo.

O Palácio de Buckingham, quando reagiu à entrevista, garantiu que as alegações de racismo estão a ser levadas "muito a sério". O comunicado, em nome da rainha, diz que toda a família real britânica ficou triste com as revelações feitas e acrescenta também que os temas que foram falados vão ser tratados de forma privada.