Incêndios em Portugal

Mais de 1.200 operacionais combatem incêndio na serra da Estrela

Mais de 1.200 operacionais combatem incêndio na serra da Estrela
NUNO ANDRÉ FERREIRA
Ponto de situação às 00:00 horas de acordo com a Proteção Civil.

Mais de 1.200 operacionais estavam esta terça-feira às 00:00 horas a combater o incêndio que lavra na serra da Estrela, sendo o único em Portugal continental, de acordo com a Proteção Civil (ANEPC).

Este fogo deflagrou no dia 6 de agosto em Garrocho, no concelho da Covilhã, e foi dado como dominado no sábado, dia 13, mas sofreu uma reativação na segunda-feira.

Pelas 00:00 de hoje, o combate ao incêndio mobilizava 1.270 operacionais, apoiados por 402 viaturas, segundo o 'site' da ANEPC. Na tarde de hoje, dois bombeiros ficaram feridos na sequência de um acidente rodoviário perto de Sarzedo, Covilhã, no distrito de Castelo Branco.

De acordo com a ANEPC, tratou-se de um acidente com um "veículo tanque" de combate incêndios. Cerca das 18:45, a mesma fonte não sabia especificar o estado das vítimas e a que corporação de bombeiros pertence a viatura.

Num 'briefing' às 19:00, o comandante nacional de Emergência e Proteção Civil, André Fernandes, revelou que os dois bombeiros sofreram "ferimentos ligeiros" e foram transportados para uma unidade hospitalar, não apresentando "cuidados de maior".

A viatura, que pertencia aos Bombeiros Voluntários de Carnaxide (concelho de Oeiras, distrito de Lisboa), terá resvalado e tombado, acrescentou.

Três localidades evacuadas

Devido ao incêndio que está a deflagrar na serra da Estrela, as localidades de Sarzedo, Orjais e Vale Formoso tiveram que ser evacuadas.

O fogo atingiu também os concelhos de Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira, todos no distrito da Guarda.

Até hoje, registaram-se 19 feridos ligeiros e três feridos graves, nenhum dos quais em risco de vida, e danos em duas casas de primeira e segunda habitação.

De segunda-feira para hoje, tiveram de ser deslocadas das suas casas 45 pessoas.

No entanto, a Proteção Civil espera ter o incêndio na Serra da Estrela dominado nos próximos dois dias, aproveitando a "janela de oportunidade" criada pelo desagravamento das condições meteorológicas, previsto a partir da próxima madrugada.

"Contamos conseguir dar o incêndio como dominado nos próximos dois dias", disse em conferência de imprensa o comandante nacional de Emergência e Proteção Civil, André Fernandes, na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, Oeiras (Lisboa).

Segundo André Fernandes, "o incêndio continua bastante fragmentado" mas já a partir da próxima madrugada haverá "uma janela de oportunidade" para dominar o fogo que já esteve dominado mas reativou-se com intensidade.

André Fernandes disse que é esperada uma melhoria nas condições meteorológicas, "sendo expectável" nomeadamente "que o vento perca a intensidade" e que "a humidade relativa do ar suba substancialmente".

Fumo do incêndio chega a Espanha

Além disso, o cheiro a queimado e o fumo resultantes do incêndio que lavra há vários dias na serra da Estrela chegaram às regiões espanholas de Madrid e Castela e Leão, indicaram hoje a imprensa e os serviços de emergência.

Loading...

Os serviços de emergência que cobrem a Comunidade de Madrid escrevem hoje na sua conta na rede social Twitter que receberam 380 chamadas, sobretudo entre as 09:00 e as 15:00, a alertarem para cheiro a queimado e fumo.

As imagens satélite da área ardida

Loading...