Insólitos

Depois dos cães e dos gatos, chegou o jacaré de “apoio emocional”

Depois dos cães e dos gatos, chegou o jacaré de “apoio emocional”
Facebook/Wallygator
Wally dorme na mesma cama que o dono e vai até passear à rua.

Este Wally é fácil de encontrar, já que dá nas vistas por onde quer que passe. Foi o que aconteceu em Filadélfia, nos Estados Unidos.

“WallyGator” é um jacaré e também um “animal de suporte emocional”, o que significa que o seu dono o pode passear e transportar para locais onde, por regra, não é aceite a entrada de animais.

E o réptil fez sucesso no seu passeio pelo parque e já é famoso na internet. O dono, Joie Henney, garante que Wally não é uma fera selvagem. Pelo contrário, descreve-o como “um doce”, razão pela qual dorme com ele na cama e o leva a passear.

Com seis anos de idade, Wally mede 1.66 metros e pesa 32 quilos. Foi “adotado” por Joie há seis anos e licenciado como “animal de suporte emocional” quando o dono foi diagnosticado com cancro.

Na teoria, este licenciamento significa que o réptil é capaz de confortar o seu dono e, por essa razão, tem alguma força na lei norte-americana. Um animal de suporte emocional não pode, por exemplo, ser recusado num arrendamento ou proibido de viver em acomodações universitárias.

Até há uns tempos, estes animais podiam mesmo acompanhar os seus donos nas viagens de avião, mas uma recente atualização da lei ditou o contrário.

Em vários estados dos EUA é ilegal ter um jacaré, mas não na Pensilvânia, onde vivem Joie e Wally.

E planos para o futuro? Os jacarés vivem cerca de 80 anos, o que significa que Wally pode mesmo viver mais tempo que o seu dono. Mas, para já, Joie está mais preocupado em inscrever o réptil num concurso que escolhe o animal de estimação favorito da América.

Últimas Notícias
Mais Vistos