Jorge Sampaio 1939-2021

"Era um homem bom", Marcelo recorda Jorge Sampaio e a sua luta pela liberdade na igualdade 

Marcelo Rebelo de Sousa lembra antigo Presidente da República "um grande senhor da nossa democracia". 

O Presidente da República elogiou esta sexta-feira Jorge Sampaio pela sua luta pela "liberdade na igualdade", considerando que essa foi a sua principal causa.

"Portugueses, acabei de exprimir à família do Presidente Jorge Sampaio, em dor, o pesar de todos vós. Lutando, mas serenamente, nos deixou hoje o Presidente Jorge Sampaio. Lutando serenamente, como sereno foi o seu testemunho de vida ao serviço da liberdade e da igualdade", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, na Sala das Bicas do Palácio de Belém, em Lisboa. "Nasceu e formou-se para ser um lutador, e a causa da sua luta foi uma: a liberdade na igualdade"

Numa comunicação ao país, o chefe de Estado lembrou os feitos do antigo Presidente da República.

Desde a "carismática afirmação" no movimento estudantil nos anos 60 à "devotada e prestigiante" Presidência de Portugal, passando pela defesa dos presos políticos durante a ditadura, pela "construção de pontes década após década", pela adesão ao PS, pela formação da "primeira e mais vasta coligação de esquerda na história democrática" e pela passagem pela presidência da Câmara de Lisboa.

"Podendo ter se resignado ao caminho mais fácil, do jurista respeitado, da quietude da sua origem social, do natural ascendente da sua cultura, do seu pensamento, da sua oratória, escolheu o caminho mais ingrato: da solidariedade dos que mais sofriam, do convívio com o concreto, da privação da sua saúde frágil, em exaustivos e desgastantes labores."

Marcelo recordou também momentos únicos da entrega de Jorge Sampaio e afirmou que era "um homem bom", na "partilha da alegria, tal como da dor, alheias".

"Deixou-nos com um duplo legado, feito de igualdade, mas também de liberdade; feito de inteligência, mas também sensibilidade. Provou que se pode nascer privilegiado e converter a vida na batalha pelos não privilegiados."

Após quase cinco minutos, Marcelo terminou o discurso reconhecendo Sampaio como "grande senhor".

"Um grande senhor da nossa democracia, um grande senhor da nossa pátria comum."

O antigo Presidente da República morreu esta manhã. Estava internado no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide, desde o dia 27 de agosto, na sequência de dificuldades respiratórias. Jorge Sampaio tinha 81 anos.

Sampaio estava de férias com a família no Algarve quando teve de ser internado no Hospital de Portimão, tendo depois sido transferido para o Hospital de Santa Cruz, em Lisboa, onde era acompanhado.

Leia mais:

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros