Legislativas 2019

Abstenção final das legislativas atinge recorde de 51,43%

Contagem de votos dos emigrantes foi concluída esta manhã. PS e PSD dividem os 4 deputados que estavam em falta na AR.

O PS venceu as eleições legislativas com 36,34% dos votos e 108 deputados eleitos, quando estão atribuídos todos os mandatos, incluindo os quatro dos circulos eleitorais da Europa e de Fora da Europa. De acordo com os resultados finais, divulgados no site da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral, já com os dados das votações nos 26 dos 27 consulados, o PSD foi o segundo partido mais votado, com 27,76% dos votos e 78 deputados.


Elegeram ainda deputados para a Assembleia da República BE (9,52% dos votos e 19 deputados); CDU (6,33% e 12 deputados); CDS-PP (4,22% e 5 deputados); PAN (3,32% e 4 deputados); Chega (1,29% e 1 deputado); Iniciativa Liberal (1,29% e 1 deputado) e Livre (1,09% e 1 deputado).


O PS venceu sem maioria absoluta, para a qual precisaria de, pelo menos, 116 deputados. Em relação aos resultados que esta madrugada foram escrutinados, no Círculo eleitoral da Europa, os dois mandatos foram para PS e PSD e no círculo fora da Europa a distribuição foram também para o PS e o PSD.

A abstenção final das eleições legislativas ficou nos 51,43%, um valor recorde. O resultado foi conhecido esta manhã, depois de terminar a contagem dos votos dos emigrantes. Dos quatro mandatos que faltavam atribuir, dois ficam para o PS e dois para o PSD.

A contagem dos votos teve início ontem e foi concluída esta manhã. Pela primeira vez na história da democracia portuguesa, foram mais os eleitores que não votaram nas legislativas, do que os que foram às urnas.

Na Europa, os socialistas venceram e Paulo Pisco foi eleito. Já pelo sociais democratas, Carlos Gonçalves conseguiu um assento.

Fora da Europa, o PSD teve mais votos e conseguiu um mandato para José Cesário. Pela primeira vez em 20 anos, o PS elegeu um deputado fora do continente europeu. Trata-se de Augusto Santos Silva que vai manter-se como do ministro dos Negócios Estrangeiros e que, por isso, será substituído no Parlamento por Paulo Fernandes.

Veja aqui os resultados finais das legislativas

No pavilhão municipal do Casal Vistoso, em Lisboa, foram montadas 100 mesas para apuramento de resultados, 70 dedicadas ao círculo da Europa e 30 dedicadas ao círculo fora da Europa, cada uma com quatro ou cinco elementos, perfazendo um total de cerca de "500 pessoas associadas às mesas".

Dentro dos mais de 150 mil envelopes que chegaram à assembleia de apuramento dos votos dos círculos da emigração, não estavam apenas boletins de voto, mas também contas e cheques apareceram.

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiros deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa - um envelope verde com o boletim de voto, dentro de um envelope branco, com uma cópia do cartão de cidadão.

Contudo, algumas pessoas resolveram inovar e acrescentaram alguns itens no mínimo insólitos: "Já encontrámos um cheque, já encontrámos duas folhas de pensão, uma conta para pagar de luz", tudo na mesma mesa, contou aos jornalistas Joaquim Morgado, secretário-geral adjunto para a Administração Eleitoral, indicando que estes documentos foram guardados e serão devolvidos a quem os remeteu.

Com Lusa