Luanda Leaks

PGR de Angola em Portugal para "pedir ajuda de muita coisa"

Palavras do procurador-geral da Republica de Angola à chegada a Lisboa dias depois de divulgada investigação Luanda Leaks.

Hélder Pitta Grós em Lisboa no mesmo dia em que Isabel dos Santos é constituída arguida em Angola

O procurador-geral da Republica de Angola chegou já de madrugada a Lisboa, horas após dar uma conferência de imprensa em Luanda para confirmar que a empresária angolana Isabel dos Santos foi constituída arguida por alegada má gestão e desvio de fundos durante a passagem pela petrolífera estatal Sonangol.

À chegada a Lisboa, Hélder Pitta Grós confirmou que veio encontrar-se com a homóloga portuguesa , Lucília Gago, a quem reconhece que veio pedir ajuda sobre "muita coisa", não esclarecendo se sobre o caso de Isabel dos Santos.

"No âmbito das nossas relações com a Procuradoria Geral [da Républica portuguesa] viemos aqui para vermos o que faremos este ano", adiantou apenas, em declarações recolhidas pela RTP no aeroporto de Lisboa.

Na quarta-feira, ainda em Luanda, o procurador-geral angolano anunciou que a empresária Isabel dos Santos foi constituída arguida por alegada má gestão e desvio de fundos durante a passagem pela petrolífera estatal Sonangol.

O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ) revelou no domingo mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de 'Luanda Leaks', que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que terão permitido retirar dinheiro do erário público angolano, utilizando paraísos fiscais.