Tragédia no Meco

Tragédia no Meco. Ex-dux diz que não houve praxe e que ideia de ir à praia foi de dois colegas

Morreram seis jovens na praia em 2013.

O único sobrevivente da tragédia do meco em 2013, o ex-dux da Universidade Lusófona, falou esta terça-feira pela primeira vez em tribunal, no arranque do processo de indemnização das famílias.

João Gouveia negou que tenha existido qualquer ritual de praxe naquela noite e disse que a ideia de ir para o areal foi de duas das vítimas. Diz também que tentou salvar uma colega.

Para a defesa das famílias das vítimas foi pouco ou nada esclarecedor.

O processo cível começou esta terça-feira no Tribunal de Setúbal. É pedido mais de 1 milhao e 300 mil euros, mas para as famílias esta nova fase tem muito mais significado.

A tragédia do Meco ocorreu há mais de sete anos. À época o processo crime foi arquivado e João Gouveia nunca foi responsabilizado pela morte dos seis colegas.