Operação e-toupeira

"Não fiz nada e não há nada", garante Júlio Loureiro 

"Não fiz nada e não há nada", garante Júlio Loureiro 

Funcionário judicial respeita a decisão da justiça, mas garante não ter feito nada. 

A Relação de Lisboa decidiu pronunciar o funcionário judicial Júlio Loureiro, alterando nesta parte a decisão instrutória da juíza Ana Peres. Este arguido vai ser julgado pelos seguintes crimes: um crime de corrupção passiva, um crime de favorecimento pessoal, seis crimes de violação de segredo de justiça, 21 crimes de violação de segredo por funcionário, nove crimes de acesso indevido e nove crimes e violação do dever de sigilo.

  • Saiba quais são os medicamentos que contêm ranitidina
    0:53