Orçamento do Estado

OE2021: "Medidas de bandeira são talvez as maiores fragilidades deste orçamento"

Pedro Sousa Carvalho, diretor-executivo do Jornal ECO, analisa a entrevista do ministro das Finanças à SIC. 

Pedro Sousa Carvalho começa por considerar que João Leão "já se sente um pouco mais confortável no fato de ministro das Finanças", o que o leva a transmitir melhor a mensagem. E a principal que ele tentou deixar nesta entrevista foi: "Se a evolução da pandemia não correr de uma forma favorável, o Governo está preparado para injetar mais dinheiro nas empresas".

"Ele não está a colocar de parte dinheiro no orçamento para as empresas (...) o que ele está a dizer é: se as coisas eventualmente correrem mal nós podemos vir a remediar."

Em relação ao assunto Novo Banco, o diretor-executivo do Jornal ECO acredita "que o ministro das Finanças está a ir até onde consegue ir".

"A principal reivindicação do Bloco de Esquerda foi que o Governo não pode emprestar mais dinheiro ao Novo Banco enquanto não houver uma auditoria. E o Governo já deu garantias que no Orçamento do Estado não está previsto nenhum dinheiro para o Novo Banco."

O diretor-executivo do Jornal ECO faz ainda uma análise às "medidas de bandeira deste orçamento": IVA na eletricidade, os IVAucher e a mudança da taxa de renteção do IRS.

"As medidas de bandeira são talvez as maiores fragilidades deste orçamento, porque são, digamos, medidas temporárias."

Veja aqui a entrevista ao ministro da Finanças.