Orçamento do Estado

OE2021: "Não hesitaremos na proteção do rendimento das famílias e emprego"

MÁRIO CRUZ

O ministro das Finanças apresentou esta terça-feura o Orçamento do Estado para o próximo ano.

O ministro das Finanças, João Leão, disse hoje, na apresentação do Orçamento do Estado, que o Governo não hesitará em proteger o rendimento das famílias e o emprego e que recusa a austeridade como resposta à crise.

"Tal como temos vindo a fazer desde o início da crise pandémica, não hesitaremos na proteção do rendimento das famílias e no apoio às empresas para a manutenção do emprego. Não hesitaremos em lançar mão de medidas anticíclicas que ajudem a acelerar a recuperação da economia e consequentemente a recuperação do emprego e a melhoria dos rendimentos", disse João Leão na apresentação da proposta orçamental para 2021, no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa.

Segundo o governante, a proposta do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) entregue esta segunda-feira no Parlamento "não tem austeridade e não vem acrescentar crise à crise", que o que faz é apostar na "recuperação da economia e na proteção do rendimento dos portugueses" e do emprego, "preocupação central da política económica e orçamental".

Segundo Leão, o rigor orçamental não se pode confundir com austeridade: "Recusamos de forma clara o caminho da austeridade para responder à crise", ao contrário do que aconteceu na anterior crise, afirmou.

  • Covid-19. Conselho de Ministros anuncia hoje novas medidas

    Coronavírus

    Portugal resgista este sábado um novo máximo de internados em cuidados intensivos. O Conselho de Ministros está reunido e vai decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia. O recolher obrigatório é uma das propostas do Governo. Os EUA continuam a ser o país mais afetado pela Covid-19. No Mundo há registo de mais de 45 milhões de infetados e 1,1 milhões de mortes.

    Ao Minuto

    SIC Notícias