Tragédia em Pedrógão Grande

Parlamento aprova voto de pesar e remete debate para mais tarde

O parlamento aprovou hoje por unanimidade um voto de pesar pelas vítimas dos incêndios dos últimos dias no centro do país, remetendo para mais tarde o debate sobre a "avaliação das ações e das políticas do Estado".

"A Assembleia da República estará, como sempre no centro dos debates que contam e que os portugueses exigem", lê-se no texto aprovado por unanimidade e subscrito por todos os partidos e pelo presidente da Assembleia da República, no final de uma sessão solene de homenagem às vítimas dos incêndios que já fizeram 64 mortos e mais de 200 feridos desde sábado.

No voto, defende-se um debate e um "balanço informado" sobre o que aconteceu desde sábado no centro do país, nos concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Pampilhosa da Serra e Góis.

"Numa democracia adulta e consolidada como a nossa, há sempre lugar para balanços informados e para a necessária avaliação das ações e das políticas do Estado", lê-se ainda no documento.

No texto, é transmitida "a mais profunda solidariedade" às famílias em luto e ao esforço "dos Bombeiros, da Proteção Civil, das Forças Armadas e das Forças e Serviços de Segurança, bem como das Autoridades Municipais e da Segurança Social no terreno".

Lusa

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros