Tragédia em Pedrógão Grande

Presidente da Liga de Bombeiros duvida da trovoada, PJ pede-lhe explicações

"A trovoada que veio foi bastante mais tarde que o início do incêndio"

A Polícia Judiciária vai convocar o presidente da Liga de Bombeiros para que este forneça os elementos de que dispõem sobre a origem do fogo em Pedrógão Grande, disse à SIC fonte oficial. Jaime Marta Soares põe em causa que o incêndio tenha começado com um raio numa árvore.

"A trovoada que veio foi bastante mais tarde que o início do incêndio", disse esta manhã Marta Soares na SIC Notícias. O presidente da Liga de Bombeiros admite origem criminosa no fogo que matou 64 pessoas e pede uma investigação apurada.

No dia seguinte à tragédia, o diretor nacional da Polícia Judiciária, Almeida Rodrigues, disse na SIC Notícias que já tinha sido identificada a árvore atingida por um raio, na sequência de uma trovoada seca, e que o incêndio não terá tido origem criminosa.

Na segunda-feira, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera apontou um conjunto de fatores para entender o que aconteceu no passado sábado em Pedrógão Grande, são eles: temperatura muito elevada, baixa humidade, ausência de chuva, descargas elétricas associadas a trovoada seca, mudança de direção de vento muito rápida e reduzida água no solo.