Tragédia em Pedrógão Grande

"Vários défices de transparência" na atribuição dos fundos de Pedrógão

"Vários défices de transparência" na atribuição dos fundos de Pedrógão

Tribunal de Contas faz várias críticas ao fundo REVITA.

A auditoria do Tribunal de Contas ao Fundo REVITA, que gere os donativos dos incêndios de 2017 em Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, aponta para "vários défices de transparência" na utilização dos fundos.

O relatório considera ainda que os critérios de atribuição dos apoios são imprecisos e não asseguraram que os donativos tenham chegado apenas a quem deles precisava.

No relatório pode ler-se que o fundo REVITA foi transparante no que toca aos donativos de 7,3 milhoes de euros em dinheiro, mas o mesmo não aconteceu com os donativos em espécie, avaliados em cerca de 600 mil euros, e acrescenta que os municípios não prestaram contas de todos bens que receberam.