Tragédia em Pedrógão Grande

Tribunal ouve testemunhas de arguidos acusados de burla na reconstrução das casas em Pedrógão Grande

Dos dois principais arguidos apenas o ex-vereador Bruno Gomes marcou presença nesta sessão.

Esta segunda-feira está a decorrer uma nova sessão do julgamento que tenta apurar responsabilidades na reconstrução de algumas das casas depois dos incêndios de Pedrogão Grande, em 2017.

O coletivo de juízes está a ouvir testemunhas arroladas pelas defesas dos arguidos.

Dos dois principais arguidos, apenas o ex-vereador Bruno Gomes marcou presença na sessão. O presidente da câmara de Pedrógão Grande não esteve na sala onde tem decorrido a maioria das sessões.

Nesta fase do processo, estão a ser ouvidas pelo coletivo de juízes as diversas testemunhas arroladas pelas defesas dos diferentes arguidos. São familiares, amigos e vizinhos dos que reconstruiram as casas depois dos incêndios e sobre as quais recaíram suspeitas de ilegalidade.

A maioria visa demonstrar que as mesmas foram destruídas pelas chamas e que estavam equipadas sendo usadas como habitação dos proprietários.

O julgamento que se iniciou a 26 de outubro de 2020 foi retomado na semana passada depois das férias judiciais.

O processo tem 28 arguidos entre eles o ainda presidente da câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, e um ex-vereador na altura dos incêndios.

Ambos estão acusados por 20 crimes de prevaricação de titular de cargo político, igual número de falsificação de documento e ainda de burla qualificada.

Veja também:

  • 4:21