Vacinar Portugal

AstraZeneca. Hospitais em Berlim suspendem administração em mulheres com menos de 55 anos

Sergio Perez

A decisão foi tomada como forma de "precaução", avança o hospital.

Os grupos hospitalares de Berlim Charité e Vivantes interromperam a administração da vacina AstraZeneca em mulheres com menos de 55 anos. A decisão foi tomada como uma "precaução", sem que tivesse sido registada qualquer complicação relacionadas com a vacina, avança o jornal alemão Tagesspiegel, citando fonte do hospital.

Em ambos os hospitais, milhares de profissionais de saúde e funcionários receberam a primeira dose da AstraZeneca. Segundo noticia o jornal, dois terços do 19.000 funcionários do Charité estão vacinados, sendo que 70% desses receberam esta vacina. Ainda não está claro se os indivíduos que receberam a primeira dose irão ser inoculados com a segunda dose, mas prevê-se que as vacinações que estão previstas sejam canceladas.

Estes não são os primeiros hospitais alemães a decidirem suspender a vacina da AstraZeneca. Também no distrito de Euskirchen, na região da Colónia, a administração deste fármaco foi suspenso em mulheres com menos de 55 anos de idade. Em causa estão dois casos de trombose registados, um deles numa mulher de 47 anos que morreu dias após a vacinação.

A vacina da AstraZeneca já esteve suspensa em vários países europeus – incluindo em Portugal – devido ao registo de episódios tromboembólicos. No entanto, a Agência Europeia do Medicamento realizou uma nova análise ao fármaco e conclui que este é “seguro e eficaz”.