Vacinar Portugal

Autoagendamento para vacinação drive thru no Porto disponível a partir de hoje

JOSÉ COELHO

Instalado no Queimódromo do Porto.

A população poderá a partir desta quinta-feira fazer o autoagendamento para a vacina contra a covid-19 no centro 'Drive Thru' instalado no Queimódromo do Porto, indicou a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte).

O esclarecimento foi prestado pelo presidente da ARS-Norte, Carlos Nunes, no final uma visita àquelas instalações.

O Centro de Vacinação em modelo 'Drive Thru' entrou esta quinta-feira em funcionamento, tendo já inoculado esta manhã cerca de 20 utentes.

Nesta primeira fase, explicou Carlos Nunes, aquela estrutura funcionará em modo piloto, sendo espectável a vacinação de cerca de 100 pessoas nos próximos dias.

Capacidade para 500 inoculações por dia

A partir do dia 14 de julho, data em que arranca a inoculação de utentes que recorreram ao autoagendamento, a capacidade instalada deverá atingir as 500 inoculações por dia, número que irá progressivamente aumentar até um limite máximo de 2.000 inoculações/dia.

Pronto para funcionar desde fevereiro, o centro conta com 12 linhas de vacinação, duas das quais em modelo 'Walk Thru' para utentes que se descolem a pé, explicou o CEO da Unilabs, Luís Menezes.

Na cerimónia que assinalou o arranque da vacinação naquele local, Carlos Nunes defendeu que o país está num "momento decisivo" do combate à pandemia.

"Este é realmente um momento importante se queremos salvar o mês de agosto, o mês de setembro e o inverno, este é o momento decisivo para o fazermos. Neste momento, temos um número muito grande de vacinas disponíveis e por isso estamos a aumentar grandemente a inoculação em todos os locais de vacinação", disse, sublinhando que este centro vai permitir aumentar a capacidade de vacinação.

Carlos Nunes reforçou, contudo, que o combate à covid-19 não se pode fazer exclusivamente por parte das instituições, apelando a colaboração das populações.

JOSÉ COELHO

Aquele responsável explicou ainda que o momento escolhido pela 'task force' para aceitar o repto lançado pela Câmara do Porto em janeiro deveu-se ao aumento do número de casos e à existência de vacinas em número suficiente.

Também o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, disse acreditar que este modelo "não só permitirá acelerar o processo de vacinação na cidade, como poderá vir a ser replicado noutros locais", à semelhança do que sucedeu com a testagem, também em 'Drive Thru', que o Porto implementou no Queimódromo, em março de 2020.

"Atenuar a pressão nos outros pontos de vacinação"

Preparado desde fevereiro, o centro vai permitir, nesta fase, "atenuar a pressão nos outros pontos de vacinação da cidade, bem como permitir um processo seguro de vacinação, em larga escala", acrescentou o autarca.

Resultado de uma "colaboração virtuosa", este centro é assegurado a custo zero pela autarquia, pela Unilabs e pelo Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ).

Ao município do Porto cabe disponibilizar os meios da Proteção Civil e da Polícia Municipal para apoiar a operacionalização deste centro, a articulação com as entidades necessárias para o bom funcionamento deste espaço, bem como assegurar o transporte das vacinas em segurança de e para o local.

A ARS-Norte assegura, através do Agrupamento de Centros de Saúde do Porto Ocidental, a cedência de vacinas a administrar, bem como todo o processo de gestão de inoculações diárias a administrar no Queimódromo, de acordo com o volume de vacinas semanalmente fornecidas pela 'task force' e dos autoagendamentos diários, a par da formação para a preparação e administração dos vários tipos de vacinas.

Já o CHUSJ será responsável pela consultoria no que se refere à vigilância clínica de reações adversas e a outros aspetos organizacionais da operação.

Por seu turno, a Unilabs Portugal irá assegurar a logística, a operação, a organização de fluxo e os técnicos de vacinação no espaço.

Na cerimónia, o CEO da Unilabs e o presidente do Conselho de Administração do CHUSJ, Fernando Araújo, realçaram a persistência e o esforço de antecipação e planeamento da Câmara do Porto.