Vacinar Portugal

Vacinação de profissionais de saúde obrigatória? Opiniões dividem-se entre "sensibilização" e "exemplo"

Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos, e Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, analisam, na SIC Notícias, a possibilidade da vacinação contra a covid-19 de profissionais de saúde se tornar obrigatória.

França, Grécia e Reino Unido são alguns dos países que vão tornar obrigatória a vacina contra a covid-19 para profissionais de saúde e para quem trabalha com grupos mais vulneráveis, como os idosos.

Esta medida, em Portugal, é defendida pela associação dos lares privados. A DGS e Ministério da Saúde mantêm o silêncio.

Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, considera que a vacinação dos profissionais de saúde não deve ser obrigatória. A Ordem dos Enfermeiros entende que o "melhor caminho é o da informação e da sensibilização".

"Pensamos que é muito importante a DGS divulgar os dados da adesão e da recusa ao processo de vacinação em Portugal."

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros acredita que os números em Portugal serão muito diferentes dos números em países que tornaram a vacinação de profissionais de saúde obrigatória: "Temos a certeza porque Portugal é dos países do mundo que tem as melhores taxas de adesão à vacinação, no Plano Nacional de Vacinação".

Já Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos, não tem qualquer dúvida de que a vacinação deverá ser obrigatória: "Obviamente que sim, não faz qualquer sentido que não seja".

"É claro que a pedagogia funciona e deve funcionar sempre, mas devemos dar o exemplo. Não há qualquer razão para que haja recusa da vacinação."

O secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos diz que a mensagem é: "vacinem-se todos, vacinem-se os profissionais de saúde" e se for obrigatório é "sem qualquer tipo de problema".

Em agosto do ano passado, Graça Freitas lembrava que a legislação portuguesa permite que em situação de epidemia, e para defesa da saúde pública, uma vacina possa ser obrigatória. Na altura a diretora-geral da Saúde afirmou que era cedo para tomar uma decisão, mas não descartou essa possibilidade.