Vacinar Portugal

Marcelo rejeita contradição com a DGS sobre vacinação de menores

Presidente da República remeteu a decisão para "livre escolha dos pais", mas DGS avisa que é necessária prescrição médica na vacinação dos menores entre os 12 e 15 anos.

Sucessivas declarações e esclarecimentos do Presidente da República e da Direção-Geral da Saúde estão a provocar dúvidas sobre a vacinação de crianças e adolescentes.

Marcelo Rebelo de Sousa veio ontem esclarecer que a vacinação de menores entre os 12 e os 15 anos deve ter, "naturalmente", intervenção médica, depois de ter dito que a opção estava aberta à livre escolha dos pais.

A DGS reiterou, num esclarecimento posterior às declarações do Presidente da República, que a vacinação de qualquer adolescente não depende da vontade dos pais, mas sim de indicação médica.