Vacinar Portugal

Infarmed regista mais de 40 casos suspeitos de "falência" da vacina da Janssen

Michael Ciaglo

36 dos quais foram considerados graves.

O sistema nacional de farmacovigilância detetou 41 casos de "suspeita de falência vacinal" em pessoas que receberam a vacina da Janssen, 36 dos quais foram considerados graves, adiantou esta quarta-feira a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed).

"Foram notificados ao sistema nacional de farmacovigilância até ao dia de ontem (terça-feira), 41 casos de suspeita de falência vacinal com a vacina da Janssen, dos quais 36 foram classificados como graves", avançou à agência Lusa a entidade reguladora.

Na segunda-feira, a Agência do Medicamento de França (ANSM) indicou que foi detetado um "número significativo" de casos de falha da vacina contra a covid-19 da Janssen, que funciona com uma dose única, naquele país.

"Um número significativo de casos de falha da vacina Janssen foi relatado, incluindo formas graves (morte, reanimação), bem como uma presença acima do normal de doentes vacinados com a Janssen nos cuidados intensivos de dois CHU (Centros Hospitalares Universitários)", em Marselha (sul) e Tours (oeste), adiantou a ANSM no seu relatório periódico de supervisão das vacinas.

Em Portugal, segundo o Infarmed, do total de 36 situações graves detetadas "cinco motivaram hospitalização e 31 foram considerados clinicamente relevantes", tratando-se de pessoas que testaram positivo para o vírus SARS-CoV-2 mais de 14 dias após terem recebido a vacina de toma única.

"Considerando que em Portugal foram já administradas mais de um milhão de doses desta vacina, isto representaria uma incidência de quatro casos notificados por 100.000 vacinados", adiantou ainda o regulador nacional, ao garantir que este número de notificações "está muito abaixo do valor esperado, tendo em conta os resultados obtidos nos ensaios clínicos usados para a aprovação desta vacina".

Em França, entre as pessoas vacinadas com o fármaco da Janssen, foram assinalados 32 casos de infeção com covid-19, o que corresponde a uma incidência de 3,78 casos em cada 100.000 pessoas.

Desses 32 casos, 29 eram graves e registaram-se quatro mortes (de pessoas com idades entre 73 e 87 anos).

Adrienne Surprenant

Esses doentes gravemente atingidos pela doença apresentavam "na maioria, formas graves de comorbidades de risco", segundo a ANSM.

Em março deste ano, a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) concedeu a autorização condicional para a vacina da Janssen, farmacêutica do grupo Johnson & Johnson - uma das quatro que faz parte do plano português de vacinação - para pessoas a partir dos 18 anos.

O comité de medicamentos humanos (CHMP) da EMA concluiu por consenso que os dados sobre a vacina eram robustos e cumpriam os critérios de eficácia, segurança e qualidade, passando a ser a quarta recomendada pelo regulador para a União Europeia.

A covid-19 provocou pelo menos 4.636.530 mortes em todo o mundo, entre mais de 225,18 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.882 pessoas e foram contabilizados 1.058.347 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

Veja também: