A vacinação em Portugal e no Mundo

"Desigualdade na vacinação ameaça todas as nações", alerta OMS

44% das vacinas foram administradas nos países ricos e apenas 0,4% nos países pobres.

É um evidente e chocante desequilíbrio que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ameaça todas as nações: em seis meses, de todas as vacinas administradas no mundo, 44% foram administradas nos países ricos e apenas 0,4% nos países pobres.

Para o diretor-geral da organização, a falta de partilha de doses continua a ser uma barreira ao combate à covid-19.

Apesar dos indícios encorajadores sobre a trajetória da pandemia no mundo, com menos infeções em seis semanas consecutivas e menos mortes em cinco semanas seguidas, a OMS diz que pôr fim às restrições muito rapidamente pode ser desastroso.

É o que se passa em vários Estados indianos que estão a aliviar as restrições, após uma queda no número de casos e de mortes.

Em Mumbai, depois de semanas encerrados, restaurantes e lojas voltaram a abrir portas, mas nas ruas as opiniões dividem-se. Se, por um lado, muitos anseiam a retoma da economia, por outro, o país, apesar da tendência decrescente, está ainda longe de respirar de alívio.

A Índia totaliza mais de 350 mil mortes, valor apenas superado pelos EUA e pelo Brasil, que se aproxima das 475 mil. Apesar do agravamento da pandemia, o país prepara-se para receber a competição de futebol da Copa América. Os especialistas são unânimes em alertar para os riscos, sobretudo numa altura em que todos os indicadores parecem apontar para uma terceira vaga da doença no Brasil.