Os números da Covid-19

Portugal com mais 6 mortes e 777 novos casos de covid-19

NurPhoto

O mais recente balanço da Direção-Geral da Saúde.

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais seis mortes e 777 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 18.071 mortes e 1.077.963 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 30.077 casos, mais 43 em relação a ontem.

O boletim da DGS revela que estão internados 321 doentes, menos 14 do que na quarta-feira. Nos cuidados intensivos estão 56 doentes, mais dois.

Os dados indicam ainda que mais 728 doentes foram dados como recuperados, fazendo subir para 1.029.815 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 21.586 contactos, menos 99 relativamente a ontem.

Dos óbitos registados três ocorreram na região de Lisboa, dois no Centro e um no Alentejo.

Quatro das vítimas mortais tinham mais de 80 anos e duas entre os 70 e os 79 anos.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se entre os idosos com mais de 80 anos (11.787), seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos (3.869).

Do total de vítimas mortais registadas até à data, em Portugal 9.481 eram homens e 8.590 mulheres.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 578.984 mulheres e 498.241 homens, segundo os dados da DGS, segundo os quais há 738 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Entre as novas infeções destacam-se as faixas etárias dos 20 aos 29 anos (mais 145), dos 10 aos 19 (mais 101),
dos 40 aos 49 anos (mais 100), seguidas dos 50 aos 59 anos (mais 93), dos 30 aos 39 (mais 89), dos 0 aos 9 anos (mais 80), dos mais de 80 anos (mais 68), dos 60 aos 69 anos (mais 63) e dos 70 aos 79 anos (mais 38).

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 262 novas infeções, contabilizando-se até agora nesta área geográfica 416.397 casos e 7.702 mortos.

A região Norte registou 178 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 412.878 casos de infeção e 5.579 óbitos desde o início da crise pandémica.

Na região Centro registaram-se mais 179 casos, perfazendo 144.316 infeções e 3.162 mortos.

No Alentejo foram assinalados 93 novos casos de infeção, totalizando 39.656 contágios e 1.039 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve, o boletim de hoje da DGS contabiliza 34 novos casos, acumulando-se 43.228 contágios pelo SARS-CoV-2 e 473 óbitos.

A região Autónoma da Madeira contabilizou 12 novos casos, somando 12.419 infeções e 72 mortes devido à doença covid-19 desde março de 2020.

Nas últimas 24 horas, e segundo a DGS, os Açores registaram 19 novos casos, o que eleva para 9.069 contágios desde o início da pandemia e 44 mortes devido à doença.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

DADOS DA TAXA DE INCIDÊNCIA E RT

Segundo o boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge divulgado na quarta-feira, a taxa de incidência (média de novos casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias) nacional caiu para 83,2 casos (estava nos 82,9).

Em Portugal continental, a taxa de incidência encontra-se também nos 83,2 casos (estava nos 82,7).

O Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa portadora do vírus - subiu para 0,97 (estava em 0,92) a nível nacional e para 0,98 em Portugal continental (estava em 0,92).

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias - indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia - são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.

Portugal é o 1º país do mundo a ter 85% da população totalmente vacinada

Mais de oito milhões de pessoas têm a vacinação completa contra a covid-19. Se for contabilizada só a primeira dose o número aumenta, são quase nove milhões de pessoas, o que se traduz em 87% da população.

Até agora mais de 16 milhões de doses foram administradas e Portugal já recebeu 20,5 milhões de doses. A vacina Pfizer é a que conta com mais doses distribuídas. Já a da Johnson&Johnson é a que conta com menos.

Obrigatório certificado de vacinação ou teste negativo para visitas e acompanhamentos nos hospitais

As visitas aos doentes nos hospitais foram retomadas, mas com regras. Se até aqui competia às unidades de saúde avaliar a possibilidade de realização de visitas e só era permitida uma por dia e durante 30 minutos, a partir de agora a DGS diz que devem ser adotadas medidas de facilitação das visitas. Vai passar a ser exigido o certificado de vacinação ou um teste negativo à covid-19.

O mesmo para o acompanhamento de crianças, grávidas, pessoas com deficiência, doentes incuráveis em estado avançado e pessoas em fim de vida.

Cerca de metade dos recuperados apresenta sintomas de "covid longa"

Cerca de 50% dos mais de 236 milhões de pessoas que foram infetadas em todo o mundo pelo coronavírus SARS-CoV-2 apresentarão sintomas persistentes pós-covid seis meses depois a infeção, sugere um estudo divulgado esta quinta-feira.

Segundo os investigadores da universidade norte-americana Penn State College of Medicine, estes resultados recomendam que os governos, as organizações e os profissionais de saúde pública se prepararem para o grande número de recuperados de covid-19 que "precisarão de cuidados para uma variedade de sintomas psicológicos e físicos".

Muitos doentes que tiveram covid-19 apresentam sintomas como cansaço, dificuldade em respirar, dor no peito, dores nas articulações e perda do paladar ou do olfato que perduram mesmo após a recuperação da doença, uma condição conhecida por "covid longa".

Mundo regista o número mais baixo de mortes por covid-19 desde novembro

O mundo registou na semana passada 46.000 mortes por covid-19, o número mais baixo desde princípios de novembro de 2020 e uma descida de 9,6% nos últimos sete dias, segundo estatísticas divulgadas esta quarta-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse numa conferência de imprensa que a pandemia está num dos seus níveis mais baixos em 12 meses, embora os números ainda sejam "inaceitáveis".

As infeções globais também diminuíram na última semana, em 7%, para 2,8 milhões, o valor mais baixo desde o início de julho.

Mais de 4,8 milhões de mortos em todo o mundo

A covid-19 provocou pelo menos 4.853.570 mortes em todo o mundo, entre mais de 238.150.550 de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Entretanto surgiram novas variantes, nomeadamente as identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

A grande maioria dos pacientes recupera, mas uma parte evidencia sintomas por várias semanas ou até meses.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global