Violência em Moçambique

Ataques em Moçambique. Um ano depois, a eletricidade regressa à vila de Mueda

Canva

Corte de energia foi provocado pelo ataque à localidade de Awasse, onde se encontra uma das principais subestações da Eletricidade de Moçambique (EDM) em Cabo Delgado.

A vila de Mueda, na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, está de novo ligada à rede de energia elétrica desde sexta-feira, depois do corte de um ano provocado pelo conflito armado na província, anunciaram as autoridades locais.

Várias atividades económicas que requerem eletricidade "serão retomadas" e será possível "dinamizar" a economia do distrito, disse à Rádio Moçambique Manuel Pitalavalave, edil de Mueda, distrito natal do Presidente moçambicano, Filipe Nyusi.

O corte de energia foi provocado pelo ataque à localidade de Awasse, onde se encontra uma das principais subestações da Eletricidade de Moçambique (EDM) em Cabo Delgado.

O controlo da localidade foi, entretanto, recuperado por militares moçambicanos com apoio ruandês durante o mês de agosto.

Durante o apagão, os agentes económicos de Mueda que continuaram abertos foram obrigados a recorrer a fontes de energia alternativas, como geradores, com despesas acrescidas em combustível.

"Eles gastavam muito com a compra de gasóleo para poder abastecer os geradores", referiu o autarca de Mueda.

O conflito armado entre forças militares e insurgentes naquela província nortenha de Cabo Delgado já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, segundo as autoridades moçambicanas.

Veja também:

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros