Meteorologia

Previsão de chuva forte deixa distritos de Faro e Beja sob aviso laranja

Previsão de chuva forte deixa distritos de Faro e Beja sob aviso laranja
Canva

O aviso nestes dois distritos vai prolongar-se até às 15:00 de hoje, passando depois a amarelo até às 18:00.

Os distritos de Faro e Beja estão hoje sob aviso laranja devido à previsão de períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de rajadas, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Faro e Beja estão igualmente sob aviso amarelo por causa da possibilidade de trovoadas frequentes e dispersas (até às 15:00 de hoje) e do vento por vezes forte do quadrante sul, com rajadas até 70 quilómetros por hora (km/h) até às 18:00 de hoje.

Também o distrito de Setúbal está com aviso amarelo até às 15:00 de hoje devido à previsão de períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada e rajadas fortes.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje períodos de chuva ou aguaceiros, mais frequentes e intensos na região Sul, com possibilidade de ocorrência de trovoada e vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, sendo moderado a forte (30 a 40 km/h) do quadrante sul na região Sul até ao meio tarde, e nas terras altas, com rajadas até 70 km/h.

De acordo com as previsões do Instituto citadas numa nota de domingo da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), há condições para a ocorrência de precipitação mais intensa, com acumulação entre 10 a 20 mm/1 hora, sendo o período mais crítico entre as 00:00 e as 15:00 de hoje, nos distritos de Faro e Beja, assim como a possibilidade da ocorrência de fenómenos extremos de vento.

Face às previsões meteorológicas, a ANEPC alertou para a possibilidade de ocorrência de inundações em zonas urbanas, por acumulação de água da chuva quando houver obstrução dos sistemas de escoamento.

Alertou igualmente para a possibilidade de cheias por transbordo de cursos de água, deslizamentos de terras por "instabilidade de vertentes" que podem ser potenciados pelos efeitos de incêndios florestais, arrastamento para as estradas de objetos soltos, desprendimento de estruturas móveis e formação de lençóis de água.

Na nota, a Proteção Civil recomenda a desobstrução de sistemas de escoamento, a fixação de estruturas soltas, a ter particular atenção à circulação em zonas com árvores, pela possibilidade de queda e quebra de ramos, especial cuidado junto a zonas ribeirinhas, adoção de uma condução defensiva e não atravessar zonas inundadas.

Últimas Notícias
Mais Vistos