Mundo

Mais de 2.200 pessoas foram detidas por motivos políticos na Venezuela

Dados divulgados pelo Forum Penal Venezuelano revelam que, desde janeiro de 2016, foram detidas 2.211 pessoas na Venezuela por alegados motivos políticos, das quais 12 permanecem em cárceres, elevando para 90 o número total de "presos políticos".

Os dados foram divulgados aos jornalistas por Alfredo Romero, presidente daquela Organização Não Governamental, que esclareceu que existem atualmente 1.866 processos abertos contra cidadãos, que foram presos e que já se encontram em liberdade.

Segundo o Forum Penal Venezuelano (FPV), desde 2014 foram detidas, na Venezuela, 5.881 pessoas por motivos políticos no que diz ser um efeito de "porta giratória" em que uns são presos e depois libertados, e depois outros são presos e libertados.

"Para não chamar a atenção internacional, o Governo (do Presidente Nicolás Maduro) encarcera algumas pessoas, enquanto liberta outras, mas todos são detidos por motivos políticos", frisou.

No seu entender, apesar da recente visita a Caracas do ex-presidente espanhol José Luís Rodríguez Zapatero, para mediar entre o Governo venezuelano e a oposição, "não é possível dizer que a situação dos presos políticos melhorou".

Lusa