Mundo

Coreia do Norte diz que libertou jovem norte-americano por motivos humanitários

Bryan Woolston

A Coreia do Norte comentou hoje a libertação do jovem norte-americano, que regressou a casa, no Ohio, em estado de coma, dizendo que o fez por motivos humanitários.

A agência estatal KCNA escreveu hoje que Otto Warmbier tinha sido condenado a trabalhos forçados mas não fez comentários sobre a sua condição médica.

"Warmbier, que estava em trabalhos forçados, foi enviado para casa a 13 de junho de 2017 por motivos humanitários, de acordo com a decisão tomada, no mesmo dia, pelo Tribunal Central da RPDC", afirmou a agência, referindo-se à Coreia do Norte através da sigla do seu nome oficial, República Popular Democrática da Coreia.

O jovem de 22 anos, estudante da Universidade de Virgínia, foi condenado, num julgamento que durou uma hora, pelo Tribunal Supremo da Coreia do Norte em março de 2016. A pena foi de 15 anos de prisão com trabalhos forçados por subversão, após o jovem ter confessado que tentou roubar um poster de propaganda.

O seu pai, Fred Warmbier, disse ao canal Fox News que o filho foi "aterrorizado e brutalizado" e está em coma há mais de um ano.

Lusa

  • Aldeia de Roberto Leal recebe notícia da morte com consternação
    2:02