Mundo

Diretiva para reduzir plásticos descartáveis é um "pequeno passo"

Entrevista SIC

Diretiva para reduzir plásticos descartáveis é um "pequeno passo"

A tarefa é gigantesca, num mundo onde o plástico se tornou omnipresente no dia a dia. Prevenir e reduzir o impacto de lixo plástico no ambiente e na saúde humana é o objetivo da proposta de Diretiva que será votada esta quarta-feira, em sessão plenária do Parlamento Europeu (PE) em Estrasburgo, França. A SIC entrevistou Maria Westerbos, da Fundação Sopa de Plástico, que considera esta Diretiva "um pequeno passo" mas reitera que é preciso ir mais longe.

A proposta aplica-se a produtos descartáveis de plástico e a artes de pesca que contêm plástico e inclui a proibição de colocação no mercado de determinados produtos de plástico de utilização única, como cotonetes, palhinhas, talheres e copos.

A SIC entrevistou Maria Westerbos, da Fundação Sopa de Plástico (Plastic Soup Foundation, em inglês), uma das organizações não governamentais que integra a aliança "Repensar o Plástico" e que escreveu aos eurodeputados a pedir maior ambição para travar a proliferação de lixo plástico no ambiente.

Para Maria Westerbos a proposta que será votada esta quarta-feira "é um pequeno passo" mas é preciso ir mais longe para proteger o ambiente e a saúde das pessoas.

A Fundação Sopa de Plástico, sediada em Amesterdão na Holanda, quer contar a história dos problemas de saúde causados pelo excesso de plástico no ambiente.

A partir de dezembro, a organização lança uma nova campanha, que promete dar a conhecer resultados de análises feitas à presença de plástico no corpo humano, alimentos, cosméticos, brinquedos e outros produtos usados no dia a dia.

Segundo Maria Westerbos, durante os próximos três anos serão testados três produtos por mês e divulgados os resultados.

A primeira campanha lançada pela Fundação Sopa de Plástico foi contra o uso de microesferas de plástico em cosméticos e produtos de higiene, como pasta de dentes e gel de banho. Com a ajuda de uma aplicação é possível saber se um determinado produto contém esses microplásticos, que acabam por ir parar ao oceano e representam um risco para os organismos marinhos e, eventualmente, para a saúde humana, ao entrarem na cadeia alimentar.

  • Andamos todos a comer plástico

    Mundo

    Pela primeira vez, cientistas encontraram provas de que os humanos estão a ingerir microplásticos na sua alimentação. Já sabíamos que poderíamos estar a ingerir este tipo de partículas através de produtos embalados como garrafas de água ou até mesmo através do peixe, mas nunca ninguém se chegou à frente para confirmar.