Mundo

Macron manifesta "vergonha" por protestos violentos

Benoit Tessier / Reuters

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou hoje "vergonha" pela violência que marcou os protestos dos "coletes amarelos", nomeadamente em Paris, denunciando os que "agrediram" as forças da ordem e outros cidadãos.

"Obrigado às nossas forças da ordem pela sua coragem e profissionalismo. Vergonha para aqueles que os agrediram e também atacaram outros cidadãos e jornalistas. Vergonha para os que tentaram intimidar os eleitos. Não há espaço para esta violência na República", escreveu o Chefe de Estado francês na rede social Twitter.

Nos Campos Elísios, em Paris, a polícia tentou controlar os manifestantes através do lançamento de granadas de gás lacrimogéneo, com canhões de água e perímetros de segurança.

Antes desta declaração, o palácio presidencial não tinha divulgado qualquer comentário sobre este novo dia de protesto do movimento "coletes amarelos", que exige a anulação do aumento dos impostos sobre os combustíveis e medidas para repor o poder de compra.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, falou à imprensa para denunciar os protestos violentos em vários locais de França, com 130 detenções, das quais 42 em Paris.

Segundo os últimos dados divulgados pelo ministro do Interior, hoje à tarde foram registados exatamente 106.301 manifestantes com "coletes amarelos" em toda a França, quando há uma semana eram 282.710.

Lusa