Mundo

Afeganistão desvaloriza retirada de militares estrangeiros do país

Mohammad Anwar Danishyar

Donald Trump surpreendeu aliados e o Congresso dos EUA com a retirada das tropas dos EUA da Síria e do Afeganistão e levou à demissão do Secretário da Defesa mas, no Afeganistão, a medida não "não terá impacto na segurança" , segundo o porta-voz da Presidente afegão.

Rahmat Gul

A retirada de "alguns milhares de militares estrangeiros" do Afeganistão "não terá impacto na segurança" do país, sobre o qual o exército afegão já tem "controlo", disse hoje a Presidência afegã.

"Se saírem do Afeganistão, isso não terá impacto na segurança porque, depois de quatro anos e meio, os afegãos já estão a exercer o controlo total sobre a segurança" do país, disse Haroon Chakhansuri, porta-voz do Presidente afegão, Ashraf Ghani, nas redes sociais.

Estas declarações surgem depois de, na quarta-feira, o Presidente norte-americano, Donald Trump, surpreender os seus aliados e os congressistas norte-americanos ao anunciar a retirada das tropas norte-americanas na Síria e continuar a ponderar a redução do efetivo norte-americano no Afeganistão.

A decisão de Trump de retirar as tropas da Síria foi criticada por abandonar os aliados curdos, que devem enfrentar um ataque turco quando os militares norte-americanos saírem do país

ERIK S. LESSER


Anúncio de Trump já provocou baixa de peso no executivo dos EUA

O secretário da Defesa dos EUA, Jim Mattis, apresentou hoje a sua demissão, anunciou Donald Trump, depois de o antigo general marine ter chocado com este por causa da retirada da Síria e da autossuficiência deste nos assuntos internacionais.

Mattis, talvez o mais respeitado membro do Governo Trump em assuntos de política externa, sai do cargo no final de fevereiro, depois de dois anos tumultuosos em que procurou moderar e conter as inconstantes mudanças de política por parte do presidente.

Na sua carta de demissão, Mattis aludiu a desacordos com Trump como razão da sua saída.

"Uma vez que você tem o direito de ter um secretário da Defesa com perspetivas mais bem alinhadas com as suas, sobre este e outros assuntos, acredito que devo sair da minha posição", escreveu Mattis.

Na rede social Twitter, Trump anunciou que iria nomear um secretário da Defesa em breve.Na sua carta de demissão, Mattis enfatizou a importância de manter o apoio aos aliados dos EUA, numa crítica implícita à decisão de Trump.

  • Leonel Pontes prefere Sporting a vencer, mesmo sem convencer
    2:18