Mundo

Rússia quer apresentar "projeto concliliador" sobre Venezuela à ONU

Carlo Allegri

Diplomacia de Moscovo confirma projeto de resolução "conciliador" sobre a Venezuelano a ser apresentado ao Conselho de Segurança da Nações Unidas.

Carlo Allegri

A Rússia está a preparar um projeto de resolução "conciliador" sobre a Venezuela para ser apresentado no Conselho de Segurança da ONU, disse hoje o responsável para a América Latina do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Alexander Schetinin.

"Propusemos um projeto que poderá ser a base para o consenso ou, pelo menos, para obter uma grande parte dos apoios", disse o diplomata, que não revelou o conteúdo do projeto.

Schetinin explicou que os países estão atualmente a debater as várias propostas que serão submetidas ao Conselho de Segurança, incluindo uma norte-americana, que exige novas eleições na Venezuela.

A Rússia expressou o seu firme apoio ao Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, perante o apoio dos Estados Unidos, Canadá e da maioria dos países latino-americanos e europeus ao presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, que se autoproclamou Presidente da Venezuela a 23 de janeiro.

Moscovo, um dos principais apoiantes de Maduro, juntamente com a China e a Turquia, rejeitou o apelo da Europa e dos Estados Unidos para Maduro convocar eleições.

Schetinin também denunciou a interferência externa nos assuntos internos da Venezuela, especialmente por parte dos Estados Unidos, país acusado de preparar uma violenta mudança de regime no país latino-americano, e defendeu que são os próprios venezuelanos que devem resolver a crise.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou Presidente da República interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro. Guaidó, como Presidente interino, recebeu o apoio de vários países, nomeadamente dos EUA, países europeus e latino-americanos.

Esta crise política soma-se a uma grave crise económica e social que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo a ONU.

Na Venezuela, antiga colónia espanhola, residem cerca de 300.000 portugueses ou lusodescendentes.

Com Lusa

  • As imagens do mau tempo no Porto
    1:24
  • As imagens das inundações em Braga
    1:05