Mundo

Vítima de R. Kelly fala pela primeira vez sobre abusos: “Já não sinto vergonha”

CBS NEWS

Mulher era cabeleireira do músico na altura dos abusos sexuais.

Lanita Carter faz parte do grupo de mulheres anónimas que denunciou os abusos sexuais do músico R. Kelly. Em entrevista à CBS News, decidiu falar pela primeira vez em público sobre as acusações, dizendo que já não sente “vergonha do passado”.

Em 2003, Lanita era cabeleireira de R. Kelly. Tinha 24 anos quando o músico a forçou a práticas sexuais contra a sua vontade. Cerca de 16 anos depois, decidiu contar a sua versão da história depois de assistir a uma entrevista em que o cantor acusa estas mulheres de o tentarem matar.

“Senti que devia ser um crime... ele poder ir à televisão e mentir. É a razão por que estou aqui”.

Visivelmente emocionada, a mulher conta ainda como durante anos foi obrigada a ouvir comentários que inocentavam o músico, não podendo defender-se.

“Carrego isto desde 2003. Tive de me sentar nos transportes públicos e ouvir as conversas: ‘Viram o que fizeram com o R.Kelly? Precisam de o deixar em paz’”.

No dia do incidente, Lanita apresentou queixa na polícia, mas mais tarde assinou um acordo com o músico, no valor de 650 mil dólares (cerca de 580 mil euros), onde a estrela negava as acusações. Seis anos mais tarde, foi obrigada a assinar outro acordo confidencial, depois de R. Kelly ter lançado uma música onde descrevia relações sexuais com uma cabeleireira. No documento o músico acordou não voltar a tocar “Hair Braider”.

R. Kelly é acusado de 10 crimes de abuso sexual. Três das alegadas vítimas eram menores na altura dos acontecimentos. Se for condenado, o músico de 52 anos enfrenta até 70 anos de prisão.

  • Votar? É mais praia...
    2:43

    Europeias 2019

    Em dia de eleições e calor intenso, a praia da região urbana de Carcavelos esteve muito concorrida, com os respetivos engarrafamentos na Avenida Marginal na ida e no regresso. E com os depoimentos dos veraneantes a merecer reflexão.