Mundo

Investigação conclui que sauditas "piratearam" telefone do dono da Amazon

Thilo Schmuelgen/ Reuters

Hackers conseguiram obter informações privadas.

O Governo saudita 'pirateou' o telefone do dono da Amazon e um dos homens mais ricos do mundo, o norte-americano Jeff Bezos, e obteve informação privada, de acordo com um responsável de segurança, noticiaram hoje os media locais.

"Os nossos investigadores e vários especialistas concluíram com grande certeza que os sauditas tinham acesso ao telefone de Bezos e obtiveram informação privada", escreveu o chefe de segurança Gavin De Becker (dono de uma empresa privada), num artigo publicado na página da Internet do The Daily Beast.

De Becker explicou que concluiu a investigação encomendada por Bezos sobre a publicação, em janeiro passado, pelo National Enquirer, de mensagens de texto privadas entre o empresário e a ex-apresentadora de televisão Lauren Sánchez.

O responsável faz uma ligação dos 'hackers' (piratas) à Arábia Saudita devido à enorme cobertura que o Washington Post, propriedade de Jeff Bezos, tem feito sobre o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, que trabalhava nos Estados Unidos e morreu no consulado do seu país em Istambul, no ano passado.

O tabloide semanal publicou no final de janeiro a troca de mensagens românticas entre Jeff Bezos e Lauren Sánchez, com quem o dono da Amazon teve uma relação extraconjugal.

Entretanto, em fevereiro passado, Bezos acusou a empresa detentora do tabloide de o chantagear com a publicação de textos e fotos íntimas para que o dono da Amazon parasse a investigação de De Becker sobre como é que a informação tinha sido obtida pelo National Enquirer.

Na altura o dono da Amazon explicou que David Pecker, presidente da American Media Inc, que detém o tablóide, contactou-o através de intermediários mútuos referindo que seriam publicadas fotos e mensagens privadas se a investigação não terminasse.

"Claro que não quero que sejam publicadas fotos pessoais, mas também não quero participar nas suas conhecidas práticas de extorsão, favores políticos, ataques políticos e corrupção", disse Jeff Bezos sobre a American Media Inc.

Segundo o Wall Street Journal, o irmão da ex-apresentadora, Michael Sanchez, terá vendido as mensagens ao tabloide, mas para De Becker o negócio ultrapassa a capacidade daquele interveniente.

"É claro que MBS [príncipe herdeiro da Arábia Saudita] toma o Washington Post como seu inimigo maior", escreveu De Becker, embora o senado norte-americano tenha apontado Mohammed bin Salman (MBS) como "responsável" da morte de Khashoggi.

A empresa Gavin De Becker and Associates, criada em 1979 em Los Angeles, é considerada uma das melhores na área de proteção de figuras públicas, dirigentes de empresas ou personalidades políticas nos Estados Unidos.

O responsável disse que entregou a sua investigação a funcionários federais dos Estados Unidos.

Lusa