Mundo

Governo do Sri Lanka decreta bloqueio temporário às redes sociais

Dinuka Liyanawatte/ Reuters

Entre as cerca de 160 vítimas mortais da vaga de ataques há um cidadão português.

O Governo do Sri Lanka decretou hoje um bloqueio temporário às redes sociais para impedir a difusão "de informações incorretas" relacionadas com a vaga de explosões que aconteceram na ilha e que provocaram, pelo menos, 158 mortos.


"O Governo decidiu bloquear todas as plataformas de redes sociais para evitar a disseminação de informações incorretas e falsas. Essa é apenas uma medida temporária", afirmou a presidência em comunicado.


A capital, Colombo, foi alvo de pelo menos cinco explosões (em quatro hotéis de luxo e uma igreja).


Outras duas igrejas foram também alvo de explosões: uma em Negombo, a norte da capital e onde há uma forte presença católica, e outra ao leste do país.


As primeiras seis explosões ocorreram "quase em simultâneo", pelas 08:45 (03:15 em Portugal), de acordo com fontes policiais citadas por agências internacionais.


O último balanço da série de explosões aponta para 158 mortos, entre os quais 35 estrangeiros, sendo um português, e mais de 400 feridos.

Com Lusa