Mundo

Espanhóis escolhem hoje próximo Governo

Espanhóis escolhem hoje próximo Governo

Taxa de participação de 60,7% às 18:00.

Quase 37 milhões de espanhóis decidem este domingo se Pedro Sánchez se mantém na liderança do Governo ou se o Executivo vira à direita com populistas à mistura.

A taxa de participação nas eleições gerais de Espanha era de 60,7% às 18:00 (17:00 em Lisboa), quase 10 pontos percentuais acima da mesma taxa nas eleições anteriores, de 26 de junho de 2016, segundo dados oficiais.

Indecisão até ao fim

Muitos espanhóis dirigiam-se às assembleias de voto ainda com dúvidas sobre o partido em que iriam votar num sistema político fragmentado e numas eleições em que a extrema-direita deverá aparecer em força.

"Muita, muita indecisão. Não sei ainda em quem vou votar. Vou decidir lá dentro, mas é um direito que devemos exercer", disse Elena, de 65 anos, à agência Lusa à entrada da assembleia de voto no Colégio Tirso de Molina do bairro madrileno de Arganzuela.

Extrema-direita em ascensão?

As sondagens indicam que haverá cinco partidos que terão mais de 10% de votos, sendo o PSOE (socialista) o favorito com cerca de 30%, longe da maioria absoluta, seguido do PP (Partido Popular, direita) com quase 20% e um grupo de três partidos entre 10 e 15%: Cidadãos (direita liberal), Unidas Podemos (extrema-esquerda) e Vox (extrema-direita).

Os estudos de opinião feitos nas últimas semanas também dão conta da existência de uma percentagem elevada de indecisos, cerca de 40%.

"Acho que há muitos indecisos, mas para mim o importante é barrar o caminho ao Vox [extrema-direita]", afirmou Alfonso, que acabava de sair da assembleia de voto e confessava não ter hesitado muito na escolha, apesar de não ser de esquerda.

A dificuldade em resolver o problema separatista na região espanhola da Catalunha fez com que a ala mais radical e saudosista da "velha Espanha" abandonasse o PP e formasse o Vox, que nas eleições regionais na Andaluzia, em dezembro passado, obteve quase 12%, resultado que poderá repetir nas eleições gerais de hoje.

Coligação à vista

Alberto, de 45 anos, disse à Lusa que tem "muita curiosidade" sobre qual será o resultado final das eleições, mostrando-se convencido de que "a votação nos partidos ao centro [PSOE e Cidadãos] vai ser decisiva, mas tudo pode acontecer".

No último dia da campanha, na sexta-feira passada, os partidos abriram a porta à negociação de coligações, com o PSOE, à esquerda, a estender a mão ao Unidas Podemos e o PP, à direita, ao Cidadãos e ao Vox.

"Até hoje não sabia em quem votar. Sou uma socialista de toda a vida, mas desde as eleições de 2016 que voto no Unidas Podemos e voltei a fazer o mesmo hoje, porque estou farta de políticos corruptos", afirmou Susana, de 65 anos.

Urnas fecham às 20:00 (19:00 em Lisboa)

Quase 37 milhões espanhóis podem exercer o seu direito de voto até às 20:00 (19:00) para escolher os 350 deputados e 208 senadores das Cortes Gerais, havendo ainda eleições para o parlamento regional na Comunidade Valenciana.

Segundo dados do Ministério do Interior (Administração Interna) espanhol há mais de 92.000 agentes de diversos corpos de polícia a vigiar o ato eleitoral, havendo um reforço das medidas antiterroristas e um plano especial para impedir os ciberataques.

Com Lusa

  • Visíveis - Ruca
    31:30
  • A reação do presidente do Benfica no momento em que se sagra campeão
    0:35