Mundo

Rússia ameaça não prolongar acordo sobre armas nucleares

ALEXEY NIKOLSKY / SPUTNIK / KREMLIN POOL

O acordo de não proliferação nuclear entre os Estados Unidos e a Rússia é um dos mais importantes símbolos do fim da Guerra Fria.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, admitiu hoje que a Rússia está prestes a decidir não prolongar o tratado de não proliferação de armas nucleares, depois de Donald Trump ter ameaçado acabar com o entendimento.

"A Rússia está prestes a não prolongar o tratado nuclear START com os Estados Unidos", afirmou Vladimir Putin, ameaçando deixar expirar o acordo, cuja data de aplicação termina em 2021.

"Se ninguém quiser prolongar o tratado START, então não o faremos (...) Nós dissemos 100 vezes que estávamos prontos", sublinhou Putin, num encontro com jornalistas de agências de notícias, à margem do Fórum Económico, em São Petersburgo.

Em outubro do ano passado, o Presidente dos Estados Unidos acusou os russos de violarem há muitos anos o acordo de não proliferação nuclear, justificando a sua intenção de sair do tratado.

De acordo com Donald Trump, a Rússia está a desenvolver um novo míssil de cruzeiro, o que constitui uma violação do tratado.

Na altura, a embaixadora norte-americana na Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) avisou a Rússia que se não suspendesse o desenvolvimento do míssil, os Estados Unidos iriam tomar medidas de retaliação, nomeadamente "a eliminação" desse armamento.

O primeiro acordo sobre armas nucleares de alcance intermédio foi assinado em 1987 entre os então presidentes dos Estados Unidos e União Soviética, Ronald Reagan e Mikhail Gorbatchov, respetivamente.

Em 2010 foi assinado o acordo New Start, cujo prazo termina em 2021.

Lusa

  • "O hospital não interna doentes em refeitórios"
    7:14