Mundo

Hong Kong recua na lei da extradição mas manifestantes permanecem nas ruas

Hong Kong recua na lei da extradição mas manifestantes permanecem nas ruas

Multidão vestida de preto não desmobilizou.

Apesar do pedido de desculpas da líder do executivo de Hong Kong e do recuo na lei da extradição, a população da antiga colónia britânica saiu em massa às ruas.

A suspensão provisória da lei que permitiria a extradição para a China Continental não foi suficiente para fazer desmobilizar das ruas de Hong Kong uma multidão vestida de preto. Os organizadores do protesto dizem que foi a maior manifestação de sempre no território e pedem a cabeça de Carrie Lam, a líder do executivo da região administrativa especial chinesa.