Mundo

Descoberto túnel com 10 metros de extensão em prisão do Rio de Janeiro

(Arquivo)

Dario Pignatelli

No túnel estavam enterradas munições para pistola, espingarda e revólver.

Um túnel com 10 metros de extensão foi descoberto por Agentes da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária brasileira (Seap) na área externa do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Rio de Janeiro, noticiou hoje a imprensa local.

O acesso, que seria utilizado para uma tentativa de fuga dos presidiários, foi preenchido com cimento, aquando da sua descoberta.

Os agentes penitenciários encontraram ainda, enterrados, 73 munições para pistola, espingarda e revólver, além de 10 telemóveis, três modem, um aparelho transmissor de Wi-Fi e quatro serras.

A ação faz parte da operação "Asfixia", que envolveu funcionários da Subsecretaria Adjunta de Gestão Operacional, da Superintendência de Segurança e contou com o apoio da Superintendência de Inteligência (Sispen).

O Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, localizado na zona oeste do Rio de Janeiro, tem cerca de 10 mil metros quadrados e recebe presos em regime semiaberto, onde os presidiários são autorizados a deixar a unidade penitenciária durante o dia para trabalhar, devendo regressar à noite.

No entanto, a imprensa brasileira frisa que, apesar dessas possibilidades estarem previstas, muitos dos presos não têm a autorização para sair das unidades.

A Seap divulgou, em comunicado, que desde o início da atual administração, a secretaria tem trabalhado "arduamente para combater qualquer tipo de irregularidade dentro das unidades prisionais".

A Operação Asfixia, realizada pelos inspetores penitenciários, já apreendeu em todo o Estado do Rio de Janeiro, desde o início do ano até maio, 5.339 telemóveis.

Lusa

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia