Mundo

Democratas avançam com processo de impeachment contra Donald Trump

JUSTIN LANE

Em causa estão suspeitas em torno de um telefonema entre Trump e o Presidente ucraniano.

Os democratas anunciaram esta terça-feira um processo de impeachment contra Donald Trump.

Em causa estão as suspeitas em torno de um telefonema entre o Presidente dos Estados Unidos e o homólogo ucraniano, Volodymyr Zelenski, no qual Trump terá pedido ajuda para prejudicar Joe Biden, o nome mais bem colocado para concorrer contra o republicano nas eleições presidenciais de 2020.

Biden foi vice-Presidente de Barack Obama

Biden foi vice-Presidente de Barack Obama

Bastiaan Slabbers

A confirmação do pedido formal de investigação com vista ao impeachment de Trump foi oficialmente anunciado esta terça-feira à noite pela Presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, depois de uma reunião à porta fechada com os congressistas democratas.

Donald Trump admitiu na segunda-feira, à margem da Assembleia Geral da ONU, ter feito um telefonema para o Presidente ucraniano a 25 de julho, no qual falou sobre um alegado caso de corrupção na Ucrânia ligado à empresa onde Hunter Biden, filho de Joe Biden, trabalha.

"Joe Biden e o seu filho são corruptos", acusou Trump. O Presidente norte-americano garantiu, no entanto, que a conversa com Zelenski teve um tom "congratulatório" e focou-se nos problemas da corrupção nos países da Europa de Leste.

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski

POOL New

Os democratas suspeitam, contudo, que Donald Trump tenha aproveitado a sua posição para pressionar o homólogo ucraniano a investigar Joe Biden, usando a ajuda militar que é dada à Ucrânia como forma de pressão.

Trump já reagiu ao pedido de impeachment. Através do Twitter, o Presidente norte-americano classifica-o de "caça às bruxas" e fala mesmo em "assédio presidencial".

Na SIC Notícias, Luís Costa Ribas explicou que passos se seguem a este pedido de impeachment e admitiu que o processo poderá arrastar-se até às eleições presidenciais do próximo ano.