Mundo

Putin reitera a Maduro apoio a "todas as autoridades legítimas" na Venezuela

Sputnik Photo Agency

"Qualquer renúncia ao diálogo consideramos irracional, prejudicial para o país e constituiria uma ameaça ao bem-estar da população".

O Presidente russo, Vladimir Putin, reiterou esta quarta-feira ao homólogo venezuelano, Nicolás Maduro, o seu apoio a "todas as autoridades legítimas" da Venezuela, manifestando o seu apoio ao diálogo entre o Governo e a oposição.


"A Rússia apoia consistentemente todos os órgãos de poder legítimo da Venezuela, incluindo a sua Presidência e o seu Parlamento. E sem dúvida apoiamos o diálogo que você, senhor Presidente e o Governo mantêm com as forças da oposição", indicou Putin no início do seu encontro com Maduro no Kremlin.


Nicolás Maduro, por sua vez, salientou que Moscovo e Caracas "mostraram que podem superar qualquer dificuldade juntos".

"Apoiamos a cooperação em várias áreas. Em maio passado, foi realizada uma reunião da comissão intergovernamental de alto nível e muitos dos assuntos que se discutiram nessa comissão foram resolvidos com sucesso. Trata-se de várias áreas: alimentação, saúde, energia e outras áreas", explicou.


O Presidente venezuelano acrescentou que a reunião de hoje com Putin permitirá fazer um balanço do trabalho realizado este ano, "examinar quais os problemas que persistem, que realidades as duas partes enfrentam, como estão a ser feitos os progressos em várias áreas e traçar planos futuros".


"Todos os trabalhos prosseguem de acordo com o cronograma previsto, em total conformidade com os nossos acordos", enfatizou o Presidente russo.


Putin disse que o fornecimento de produtos agrícolas russos à Venezuela pode ser visto como uma cooperação humanitária numa altura em que o país atravessa uma grave crise económica.


Por outro lado, o líder russo anunciou que em breve vai enviar cerca de 1,5 milhão de doses de vacinas contra a gripe e prevê fornecer regularmente até cinco milhões de doses.


Vladimir Putin mostrou-se satisfeito com o facto de o comércio entre as duas nações ter aumentado 10% nos últimos meses.

Além disso, reafirmou a cooperação técnico-militar com a Venezuela - o maior comprador de armas e equipamentos militares russos na América Latina - em particular no fornecimento de peças de reposição e centros de serviços.


Os contratos nesta área entre a Rússia e a Venezuela são estimados em 11.000 milhões de dólares (10 milhões de euros).

Putin também mencionou os investimentos russos no setor da indústria energética da Venezuela, afirmando que a Rússia investiu cerca de 4.000 milhões de dólares (3.6 milhões de euros) na economia venezuelana.

Lusa