Mundo

Noite de violência em Barcelona: mais de 50 feridos e 20 detidos

Joan Mateu

Confrontos entre polícia e manifestantes, com dezenas de focos de incêndio.

Pelo menos 52 pessoas ficaram esta quarta-feira feridas e 20 foram detidas durante os protestos e manifestações contra a condenação a prisão dos principais dirigentes independentistas na Catalunha, anunciou o Sistema de Emergência Médico.

Barcelona tornou-se um cenário de batalha campal entre polícias e manifestantes, que construíram barricadas, queimaram mobiliário urbano e pneus, fizeram fogueiras e atiraram pedras e petardos contra os polícias. As autoridades responderam com balas de borracha e gás lacrimogéneo.

Esta noite, registaram-se dezenas de focos de incêncio e pelo menos dois manifestantes foram atropelados em Tarragona.

Os protestos estão a acontecer desde segunda-feira, quando o Tribunal Supremo espanhol condenou os principais dirigentes políticos envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão, no caso do ex-vice-presidente do governo catalão.

Rafael Marchante

O chefe de Governo espanhol já reagiu à vaga de protestos. Pedro Sánchez congratulou a atuação das autoridades e pediu firmeza à Generalidade da Catalunha contra os manifestantes.

A onda de protestos mereceu também a reação do líder do Governo regional da Catalunha. Quim Torra fez duras criticas aos atos de violência e deixou vários apelos aos independentistas.

A situação conturbada vivida na Catalunha levou a Liga espanhola a pedir à Federação que o clássico entre o Barcelona e Real Madrid se jogue na capital espanhola e não em Barcelona, como estava agendado.

A decisão final deverá ser tomada na próxima terça-feira, mas o clube catalão já fez saber que rejeita esse cenário.