Mundo

Comandante da Jihad islâmica morto em ataque aéreo israelita

ATEF SAFADI

Casa de outro líder da Jihad Islâmica em Damasco alvo de ataque israelita

Um comandante do grupo extremista palestiniano Jihad Islâmica morreu hoje durante um ataque aéreo israelita na faixa de Gaza, anunciaram as autoridades isrealitas. Praticamente ao mesmo tempo, outro ataque atingiu a casa de um líder da Jihad Islâmica em Damasco

"Um edifício na faixa de Gaza, onde o comandante da Jihad Islâmica Baha Abu al-Ata residia, foi atacado", indicaram as forças armadas israelita em comunicados, acrescentando que a operação foi conduzida em conjunto com os serviços de segurança interna israelita Shin Bet.

O grupo extremista apoiado pelo Irão confirmou já a morte do comandante no norte da faixa de Gaza.O Ministério da Saúde de Gaza indicou que um homem e uma mulher morreram na sequência da explosão e duas pessoas ficaram feridas.

A imprensa local israelita noticiou recentemente que Abu el-Atta foi o responsável pelos recentes ataques instruídos por Teerão contra as comunidades do sul de Israel. União Europeia, Estados Unidos, Japão, Austrália e Israel consideram a Jihad Islâmica um grupo terrorista, que defende a destruição do Estado israelita e a criação de um Estado islâmico na Palestina.

Casa de líder da Jihad Islâmica em Damasco alvo de ataque israelita

Projéteis israelitas atingiram hoje a casa de um líder da Jihad Islâmica em Damasco, noticiou a agência síria SANA que indicou que dois projéteis atingiram a casa de Akram al-Ajuri, um dos líderes da Jihad Islâmica e membro do conselho político que opera a partir de Damasco.

Pelo menos um dos filhos de Al-Ajuri, Moaz, e um civil morreram na sequência do ataque e dez pessoas ficaram feridas, incluindo uma das filhas do líder da Jihad Islâmica, indicou a SANA.

Em comunicado, a Jihad Islâmica atribuiu o ataque ao "inimigo sionista", numa referência a Israel, e confirmou que a casa de Akram al-Ajuri foi o alvo dos projéteis, mas não deu detalhes sobre o paradeiro do comandante.

A televisão estatal síria também atribuiu "a agressão" a Israel, que não reconheceu ainda ter realizado o ataque.

Com Lusa