Mundo

Polícia está a tratar ataque a produtora Porta dos Fundos como tentativa de homicídio

Ator e sócio da produtora Porta dos Fundos fala em atentado à liberdade de expressão

O ataque à produtora brasileira Porta dos Fundos, na noite de 24 de dezembro, está a ser tratado pela polícia como tentativa de homicídio. O ator e sócio da produtora, João Vicente de Castro, acredita no trabalho das autoridades e diz que tudo não passou de um atentado à liberdade de expressão.

A sede da produtora no Rio de Janeiro foi atacada por um grupo que diz ser de extrema-direita. Foram atirados cocktails molotov para o interior mas ninguém ficou ferido. Em causa terá estado uma sátira de Natal que conta uma história em que Jesus surge representado como um jovem que tem uma experiência homossexual.

A polémica já originou uma petição com mais de 2 milhões de assinaturas.