Mundo

Risco de incêndios na Austrália vai continuar pelo menos até abril

Risco de incêndios na Austrália vai continuar pelo menos até abril

As temperaturas baixaram, ligeiramente, estes dias, mas não o suficiente para permitir o controlo das dezenas de frentes de fogo.

Os termómetros baixaram esta terça-feira e o vento amainou. Contudo, o alívio ligerio não foi o suficiente para que os bombeiros conseguissem controlar as várias frentes de fogo, mas tornou as condições menos adversas para os milhares de homens e mulheres que combatem as chamas.

A Austrália tem montada uma mega operação de combate aos incêndios que envolve mais de 3.700 bombeiros, apoiados por uma frota de 500 meios áereos e milhares de veículos. O Governo chamou o exército, a marinha e a força aérea.

Mais de 3 mil reservistas estão no terreno, com meios de transporte, que têm ajudado na evacuação das localidades em risco, e na distribuição de bens essenciais. Há ainda 440 equipas de paramédicos e centenas de especialistas em comunicações, em logística e em operações de busca, para além de polícias que garantem a segurança das zonas que ficaram desabitadas.

2019 foi o ano mais quente e mais seco da história da Austrália com uma temperatura média 1 grau e meio acima dos valores médios registados desde a década de 60. Os especialistas dizem que pode piorar nos próximos anos com verões cada vez mais longos e incêndios cada vez maiores e mais difíceis de combater.