Mundo

Recolher obrigatório em Nova Iorque não acontecia há 75 anos

Andreia Melo

Andreia Melo

Jornalista

Quase 50 cidades norte-americanas estão sob recolher obrigatório por causa dos protestos contra a violência policial, motivados pela morte de George Floyd.

Quase 50 cidades estão sob recolher obrigatório nos Estados Unidos por causa dos protestos contra a violência policial, motivados pela morte do afro-americano George Floyd.

Em Nova Iorque, o recolher obrigatório foi imposto segunda-feira, mas, no dia seguinte, a medida foi alterada: era inicialmente proibido sair à rua entre as 23h00 e as 5h00, mas o mayor da cidade adiantou o recolher para a partir das 20h00. No entanto, milhares de pessoas continuaram nas ruas em protesto e algumas acabaram mesmo por ser detidas.

A medida é histórica em Nova Iorque, já que a última vez que tal aconteceu foi em 1945, em plena II Guerra Mundial.

Dois anos antes foi também imposto recolher obrigatório, mas apenas para o bairro de Harlem, por causa dos motins causados depois de um polícia ter disparado sobre um afro-americano.

Republicanos apoiam força policial para conter protestos nos EUA

Nos Estados Unidos, a maioria dos senadores republicanos apoiou o uso de força policial para conter os protestos em frente à Casa Branca. Esta carga policial permitiu que Donald Trump visitasse a histórica igreja episcopal de St John com uma bíblia na mão.

O comportamento mereceu duras críticas por parte dos democratas, que acusaram o Presidente norte-americano de se comportar como um ditador.

EUA a ferro e fogo: o testemunho de portugueses

O fotógrafo português vive há 16 anos nos Estados Unidos e esteve nos protestos contra a morte de George Floyd. Em muitas cidades que são palco dos confrontos, também vivem portugueses.

Um fotógrafo de Los Angeles e uma jornalista de Nova Iorque divulgaram fotografias e vídeos que ilustram o momento conturbado que se vive em duas das principais cidades norte-americanas.

George Floyd tinha 46 anos. Morreu a 25 de maio, em Minneapolis (Minnesota), depois de um polícia lhe ter pressionado o pescoço com o joelho durante cerca de oito minutos numa operação de detenção, apesar de Floyd dizer que não conseguia respirar.

Desde a divulgação das imagens nas redes sociais, têm-se sucedido os protestos contra a violência policial e o racismo em dezenas de cidades norte-americanas, algumas das quais foram palco de atos de pilhagem.

Os quatro polícias envolvidos no incidente foram despedidos e o agente Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço de Floyd, foi detido, acusado de assassínio em terceiro grau e de homicídio involuntário.

A morte de Floyd ocorreu por suspeita de ter usado uma nota falsa de 20 dólares (18 euros) numa loja.

  • 15:42